REDES SOCIAIS

26°C

Apreendidas pela PF, mensagens de autoridades mostram como o Brasil chegou ao 8/1

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O que revelam as mensagens apreendidas em celulares de autoridades diretamente envolvidas no 8 de janeiro de 2023, o maior ataque à democracia brasileira desde o fim da ditadura? É esta a pergunta que o blog tenta responder num compilado de conversas detectadas pela Polícia Federal ao longo das investigações sobre a tentativa de golpe.

O material, dividido em três atos, registra conversas que precederam a chegada de Lula ao poder, a inconformidade de bolsonaristas, inclusive no Exército, com a derrota do ex-presidente Jair Bolsonaro, a preocupação do presidente do Congresso e do então ministro da Justiça na véspera dos atos, a alienação do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, e o desespero com a tomada da Praça dos Três Poderes pelos golpistas. Dias que antecederam os ataques golpistas.

?? 28/11/22

Mauro Cid envia para si mesmo, como backup, fotos de documento de três páginas que atacam decisões judiciais, questionam a lisura da eleição e terminam com o seguinte parágrafo:

?Afinal, diante de todo o exposto e para assegurar a necessária restauração do Estado Democrático de Direito no Brasil, jogando de forma incondicional dentro das quatro linhas, com base em disposições expressas da Constituição Federal de 1988, declaro o Estado de Sítio; e, como ato contínuo, decreto Operação de Garantia da Lei e da Ordem?

Para a PF, Cid tornou-se uma espécie de depositário de pareceres e esboços de medidas legais que dariam lastro a uma intervenção na ordem democrática, com ?sugestão de um roteiro para a atuação das forças armadas como moderadora?. Isso ocorre após a derrota nas eleições de 2022.

?? 13/11/22

Já no dia 13 de novembro de 2022, Cid troca mensagens com um sargento do Exército chamado Dos Reis sobre as manifestações que estavam ocorrendo em frente ao quartel de Goiânia. Ao ser questionado sobre a manifestação Mauro Cid diz: ?Mais fácil eu ajudar os caras do que tirar de lá?.

Dos Reis, na sequência, envia um áudio de uma pessoa não identificada: ?Hoje, domingo, treze de novembro, uma hora e cinco da tarde. Ó pessoal, aí ó! Patriotas estão firmes, sai não! Ó o povo aí. Dessa vez, nós vamos vencer a batalha!?

Dos Reis esteve na Esplanada no dia 8 de janeiro e enviou diversos vídeos da invasão dos Poderes. Ele chegou a escrever a colegas que estava ?no meio da muvuca?, sem informações externas.

?? 30/11/ 22

A PF encontra mensagem enviada, nesta data, a Mauro Cid pelo Coronel Lawand, do Exército. Ele pede um número seguro (?este deve estar grampeado?, diz) para fazer uma ligação. Em áudio, afirma querer ?um conforto, entender o que está acontecendo?.

?? 01/12/22

No dia seguinte, Lawand envia um novo áudio a Cid. Esta é a transcrição segundo a PF.

?Cidão, pelo amor de Deus, cara. Ele dê a ordem que o povo está com ele, cara. Se os caras não cumprir (sic) o problema é deles. Acaba o Exército Brasileiro se os caras não cumprir (sic) a ordem do comandante supremo. (?) Pelo amor de Deus, Cidão. Pelo amor de Deus, faz alguma coisa, convence ele a fazer. Ele não pode recuar agora. Ele não tem nada a perder. Ele vai ser preso. O presidente vai ser preso. E pior: na Papuda, cara. Na Papuda.?

O áudio segue e Cid responde em apenas uma linha:

?Mas o Pr não pode dar uma ordem? se ele não confia no ACe [Alto Comando do Exército]?.

Lawand, então, finaliza: ?Então ferrou. Vai ter que ser pelo povo mesmo. TMJ [Abreviação de ?Tamos Juntos?]

O coronel Lawand segue enviando uma série de apelos a Cid pela ?ordem? do presidente. Até que?

?? 21/12/22

No dia 21 de dezembro Lawand envia a Cid o seguinte texto:

?Soube agora que não vai sair nada. Decepção, irmão. Entregamos o país aos bandidos.?

Cid responde: ?Infelizmente?

Lawand segue: ?Peça por favor para avisarem ao povo que está há 52 dias cagando em banheiro químico, dormindo mal e pegando chuva. Ele merece saber a verdade?

?? 07/01/2023 – Véspera dos ataques

Todos os registros abaixo foram captados pela PF nos celulares de autoridades, como o governador do DF, Ibaneis Rocha.

  • Anderson Torres tenta acionar Ibaneis por ligação, duas vezes, e não consegue. Então, encaminha o contato de seu número 2 na Secretaria de Segurança Pública, o delegado Fernando.
  • Na sequência, Ibaneis e Flávio Dino, então ministro da Justiça, travam um breve diálogo:

?O Fernando está a frente da Secretaria e já tomou todas as providências?, diz o governador.

Dino responde enviando um ofício do Ministério da Justiça sobre a segurança nos atos.

  • Na sequência, Ibaneis fala com outra interlocutora, uma jornalista. Ela questiona, 19h32, do dia 7:

?Está liberada a manifestação da Esplanada??

Ibaneis: ?Manifestações pacíficas, sim?.

Minutos depois, às 20h, Ibaneis recebe uma mensagem do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Pacheco: ?Estimado governador, boa noite. A Polícia do Senado está um tanto apreensiva pelas notícias de mobilização e invasão ao Congresso. Pode nos ajudar nisso? Abraço fraterno, Rodrigo?

Ibaneis responde: ?Já estamos mobilizados. Não teremos problemas. Coloquei todas as forças nas ruas?.

Minutos depois, é Flavio Dino quem escreve a Ibaneis.

O ministro encaminha ofício do MJ no qual solicita a proibição de tráfego na Esplanada nos dias 8 e 9 de janeiro.

E, na sequência, link de reportagem que afirmava que Ibaneis havia liberado ?manifestações pacíficas?.

Dino: ?Governador, não entendi bem qual será a sua orientação para a Polícia do DF. Onde será o ponto de bloqueio e de que forma??O governador apenas encaminha um relatório da secretaria de segurança dizendo que tudo estava sob controle.

No dia seguinte, Ibaneis seria informado pelo delegado Fernando, por áudio, que 150 ônibus haviam estacionado em Brasília, mas que tudo ocorria de ?forma ordeira e pacífica?

?? 08/01/2023

Com o Congresso ja invadido e a praça dos 3 Poderes já ocupada, a então presidente do Supremo, Rosa Weber, escreve ao governador:

Weber: ?Já entraram no Congresso!?

Ibaneis: ?Coloquei todas as forças de segurança nas ruas?

Weber: ?O secretário de Segurança do DF está de férias, por isso o contato direto com o sr!?

Ibaneis: ?Estamos cuidando?

Weber: ?Obrigada pelo retorno?

O governador então encaminha à presidente do Supremo o contato do delegado Fernando. Ela apenas agradece.

Dez minutos depois da conversa com Weber, às 16h39, Ibaneis escreve ao delegado Fernando.

Ibaneis: ?Coloca tudo na rua. Tira esses vagabundos do Congresso e prende o máximo possível?

Fernando responde em áudio:

?Ô Governador, já coloquei toda tropa na rua…pedi pra acionar todo o ?EDF? e proteger o STF…todo mundo pro STF?.

Na sequência, mais um áudio de Fernando a Ibaneis:

?Governador, a situação está bem crítica aqui…eu queria ver com o senhor o acionamento da Força Nacional e talvez do Exército…porque assim…tá monitorando em grupo que eles estão chamando mais gente pra poder invadir os locais, né…tem uma rede associada então que queria ver com o senhor a possibilidade de acionamento do Exército e da Força Nacional?.

Ibaneis, então, encaminha ao delegado o telefone de Flavio Dino.

Na sequência, o governador escreve ao ministro:

?Vamos precisar do Exército. O Fernando vai te ligar?

Com o leite derramado, Ibaneis é procurado por Andréia Sadi. Ela cobra a responsabilidade do GDF. Diz que houve falha na segurança.

O governador afirma que não é conivente com o que chama de ?absurdo? e se afirma um democrata.

Mais tarde, em conversa com a jornalista Cátia Seabra, da Folha, Ibaneis lança a tese de que foi ?sabotado por todas as forças de segurança? do DF.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS