REDES SOCIAIS

19°C

Brasil está entre ‘os países mais atrasados’ em política de drogas, diz criminalista

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Quase oito anos se passaram desde que o STF começou a julgar uma ação que discute se o porte de drogas para uso pessoal é crime ou não. O julgamento deve ser retomado nesta semana com o voto de Alexandre de Moraes. Também faltam votar os ministros André Mendonça, Nunes Marques, Luiz Fux, Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Rosa Weber.

Em entrevista a Natuza Nery, criminalistas apontam que a atual política de drogas brasileira vai na contramão da tendência mundial.

“A América Latina já está discutindo regulamentar o comércio desses produtos. Quando a gente olha para a América do Norte, nos Estados Unidos já existe a possibilidade de comprar algumas substâncias. Praticamente a Europa inteira já admite o uso”, compara o criminalista Pierpaolo Bottini.

Ele avalia que uma possível descriminalização no Supremo ainda seria um passo modesto em relação a política de drogas.

“Vamos lembrar que não estamos falando de liberar o tráfico e nem te liberar o uso. A gente tá discutindo só tirar o direito penal do uso. Ou seja, nem o passo em favor de liberar está dado ainda”, destaca o autor do livro “Porte de drogas para uso próprio e o STF”.

Ouça a entrevista completa no podcast O Assunto

Episódios anteriores

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS