REDES SOCIAIS

16°C

Brasil passou a ter radicais em todos os níveis da política, avalia Júlio Campos

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

Deputado estadual eleito, Júlio Campos (União Brasil)

O ex-governador e deputado estadual eleito, Júlio Campos (União Brasil), afirmou nesta terça-feira (25), que o Brasil vive uma onda de radicalismo político em todas as esferas, e que acabam respingando dentro dos lares brasileiros. 

Ao longo de seus 50 anos na vida política, Júlio pontuou que esses embates extremos não ocorriam anteriormente.

“Mudou o Brasil e a política brasileira. Nunca houve tanto radicalismo na política como esta havendo hoje na política nacional, estadual, municipal e a nível familiar. Terminou, tá tendo briga de marido e mulher, irmãos com irmãos […] whats da família tá bombando, estranho, isso não havia no Brasil”, disse ele ao comentar o cenário atual da política.

No âmbito nacional, Júlio argumentou que o Brasil já teve duelos históricos entre candidatos da direita e da esquerda, mas que nunca chegaram ao ponto de despertar a “política do ódio” na população.

“No passado já tivemos embates muito grandes, sucessões presidenciais disputadas, [entre] Lula e Collor, Lula e [José] Serra, Lula e Alckmin, Dilma e Aécio. No passado, Juscelino contra Juarez, enfim, aquela política do passado e do presente recente, mas agora chegou em um nível em que entre Bolsonaro e Lula, [há] um extremo total, de ter violência até físicas”, argumentou ele.

O político ainda citou o caso do ex-deputado federal Roberto Jefferson, que resistiu ao mandado de prisão da Polícia Federal, e atirou contra os agentes, que foram até sua residência por infringir os termos da condicional de sua prisão domiciliar.

“Nunca houve essa cena, onde uma decisão judicial é respondida com um tiroteio, como ocorreu esse final de semana lá no Rio de Janeiro com a prisão do Roberto Jefferson. Então, para mim é estranho, que faço política há 50 anos […] tinha radicalismo? Tinha. Tinha disputa eleitoral? Tinha, mas era uma disputa sadia, que acabou a eleição, acabou [o conflito] não tinha essa situação explosiva de hoje”, acrescentou.

A fala foi realizada durante participação ao Podcast Sem Moage, do portal

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS