REDES SOCIAIS

19°C

Deputado cita ?bom senso? de Kalil e não acredita que haverá traição no palanque

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

O grande imbróglio envolvendo a presença do ex-candidato a Prefeitura de Várzea Grande, Flávio Frical (PL), no palanque de reeleição do prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat (MDB) em 2024 segue movimentando os bastidores várzea-grandenses. Isso porque a presença do empresário no palanque, resultará num mal-estar do prefeito com a Família Campos, quem o apoiou na última campanha e vem sendo criticada por Frical.

Na manhã dessa quarta-feira (8), em entrevista Veja Bem MT, o deputado estadual Fábio Tardin (PSB), afirmou que não acredita na união entre Flávio e Kalil pelo “bom senso” do gestor municipal e refutou uma “traição” vinda do neto de Sarita Baract.

“Eu não vejo possibilidades não. O Kalil é uma pessoa sensata, isso aí é fofoca só questão de corredor. Quem tem que discutir isso é o Kalil, na política tudo pode acontecer mas ele é uma pessoa muito sensata, eu não acredito nisso não”, disse o deputado.

O QUE DIZ KALIL

No mês passado, o prefeito disse que jamais recusaria apoio e que se Frical, que foi seu rival em 2020, estava ao seu lado, era porque estava no caminho certo. Além disso, esperava que o Clã Campos deixasse a poeira abaixar para conversar com Frical e amadurecer a ideia de todos estarem trabalhando na reeleição de Baracat.

“Se o Flávio que foi meu adversário está declarando apoio e vem de livre e espontânea vontade, falar que vai me apoiar é sinal que estou no caminho certo e que ele está contente com meu trabalho. Agradeço a ele por manifestar apoio a mim. Política é arte de dialogar, nós iremos sentar e conversar. Tudo será no diálogo, jamais irei abandonar as pessoas que me ajudaram e ao grupo político que me elegeu”, disse o prefeito.

CAMPOS REBATEM

Logo em seguida, o deputado estadual Júlio Campos (União Brasil), disse que jamais iria subir no palanque com Flávio e que se Kalil quisesse, iria escolher eles ou o empresário. Porém, admitiu a possibilidade de um “rodizio de palanque”, no dia que ele subir, Frical estará fora, e depois o contrário.

“Pelas ofensas, xingamentos e injustiças que ele tem feito a nossa pessoa, nossa família e nossa administração, não há espaços no palanque do União Brasil. Se o MDB com Kalil estiver coligado conosco, avaliaremos que não podemos ter a simpatia ou desejo de ter alguém que nos chama de cancerosos, que a administração é um câncer para Várzea Grande”, reforçou.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS