REDES SOCIAIS

26°C

Edna critica Mendes e diz que governador terá resposta nas urnas

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

Durante sessão ordinária da Câmara Municipal de Cuiabá, nesta terça-feira (23), a vereadora Edna Sampaio (PT) disse que o governador Mauro Mendes (UB) precisa de uma resposta nas urnas diante de sua insensibilidade em relação aos mais pobres.

A parlamentar comentou a decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), que convocou Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) para uma audiência de conciliação sobre a criação de políticas articuladas de combate à pobreza no município de no estado.

A audiência entre os gestores ainda não tem data marcada. A convocatória, assinada pela desembargadora Maria Aparecida Ferreira Fago, atende à solicitação apresentada por ela no ano passado para que fosse cumprido o pedido de injunção que a parlamentar protocolou em março do ano passado para obrigar governo e Prefeitura a criar programas de transferência de renda.

O pedido foi assinado também pelo deputado estadual Lúdio Cabral (PT) e pelo diretório regional do partido.

Durante a sessão desta terça, a parlamentar lembrou que o Estado teve superávit de mais de 4 bilhões em suas contas, mas 192 mil mato-grossenses vivem em situação de extrema pobreza. “Mauro Mendes precisa de uma resposta nas urnas sobre a sua insensibilidade e sua incapacidade de governar para todos os mato-grossenses. Precisa entender que governar não é como dirigir uma empresa, cujo objetivo é o lucro e fazer capital enquanto o povo passa fome […] Ele não está dirigindo uma empresa, onde as dívidas trabalhistas podem ser judicializadas”, disse ela.

A parlamentar cobrou medidas efetivas da prefeitura e do governo, e cobrou o posicionamento dos vereadores.

“Lamentavelmente, fica nesse jogo de empurra. Quem defende o governador vem aqui dizer que a culpa é do prefeito e quem defende o prefeito, diz que a culpa é do governador. Os dois são culpados, responsáveis e omissos na definição de políticas públicas para o enfrentamento à extrema pobreza. Fico feliz que o judiciário, finalmente, tenha se posicionado em relação à nossa ação”, disse.

A parlamentar, que percorreu a região norte, passando por municípios como Sorriso e Sinop, no último final de semana, apontou a desigualdade na distribuição da riqueza nas regiões onde o agro predomina e cobrou políticas para os municípios pobres.

Ela salientou que Mendes governa para um setor econômico que o apoia e não tem ouvido a população sobre medidas como o veto ao projeto de lei que proíbe a construção de seis barragens no rio Cuiabá, que havia sido aprovado pela Assembleia Legislativa.

“O governador Mauro Mendes não é um imperador, foi eleito para fazer políticas articulado com os municípios. Mato Grosso não arrecada para si próprio, portanto, não pode alimentar uma máquina pesada que vira as costas para os municípios […]”, disse ela.

Ela disse que Mendes e Bolsonaro são “farinha do mesmo saco” , afirmando que este último “mentiu descaradamente” durante a entrevista concedida à TV Globo na noite de ontem (22).

“Uma vergonha para qualquer pessoa que tenha decência neste estado e nesse país. É este governo que as pessoas que defendem um governo para os ricos querem para Mato Grosso”.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS