REDES SOCIAIS

28°C

Em artigo, Lula fala em ‘reconstrução’ nos primeiros 100 dias de governo e diz que priorizou o ‘inadiável’

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Em artigo publicado pelo jornal “Correio Braziliense” neste domingo (9), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma análise sobre os 100 primeiros dias de seu governo. Entre outros pontos, o chefe do Executivo afirmou que durante o período priorizou o “inadiável” e trabalhou pela “reconstrução” e “união” do país.

O terceiro mandato de Lula como presidente completa 100 dias nesta segunda-feira (10). Neste período, o governo relançou programas sociais como Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida e Mais Médicos, e enfrentou desafios, como a invasão e depredação das sedes dos poderes da República.

“Os problemas herdados eram tantos e em tantas frentes que o termo ‘reconstrução’ foi incorporado ao slogan do governo federal, precedido de outra palavra-chave: ‘união’. Não existem dois Brasis, o Brasil de quem votou em mim e o Brasil de quem votou em outro candidato. Somos uma nação”, afirmou Lula.

Em seu texto, o presidente citou vários programas sociais lançados ou relançados nestes primeiros três meses, entre eles o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), projeto em que o governo compra a produção de pequenos produtores da agricultura familiar e repassa para pessoas que estão em vulnerabilidade alimentar.

Outra ação de governo festejada por Lula foi o reajuste médio de 36% para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), cujos valores são repassados para estados e municípios e destinados à compra de merenda escolar para os alunos de todas as etapas da educação básica pública.

“Governar é lidar com urgências, ao mesmo tempo em que criamos as bases para um futuro melhor. Nestes primeiros 100 dias, priorizamos o que era inadiável. Começando pelo necessário, para fazer o possível”, escreveu o presidente.

Lula destacou que durante o período também recriou ministérios para cuidar de áreas importantes para o governo, foram eles:

  • Igualdade Racial, “para reparação histórica ao povo negro deste país”, disse;
  • Mulheres, “para o combate à violência de gênero e à desigualdade no mundo do trabalho”, afirmou Lula; e
  • Cultura, “para fazer novamente da cultura uma extraordinária ferramenta de geração de riqueza, além de parte fundamental de formação da nossa identidade”, escreveu o presidente; e
  • Povos Indígenas, “juntamente com a reorganização da Funai, para fazer justiça aos primeiros habitantes deste país”, elabora Lula.

Ainda, segundo o presidente, no decorrer deste mandato, o governo seguirá firme “na reconstrução de um país mais desenvolvido, justo e soberano, com paz, harmonia e oportunidades para todos”.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS