REDES SOCIAIS

21°C

Em reunião com ministros, Lula pede foco em escoamento de água e reconstrução de hospitais e escolas no RS

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu com ministros na manhã desta segunda-feira (20) para falar sobre a coordenação das ações de ajuda ao Rio Grande do Sul, que enfrenta enchentes históricas.

No encontro, o presidente pediu foco em três frentes:

  1. bombas para escoar a água;
  2. plano e execução de reconstrução de escolas em pontos mais seguros;
  3. reconstrução de hospitais, dada a situação de saúde que a água suja, com restos humanos e de animais, provoca no estado.

Definir as ações imediatas e as áreas prioritárias vai garantir que as medidas andem mais rapidamente ? a população precisa de ajuda de forma urgente.

Há um entendimento entre os ministros que participaram da reunião que é preciso se comunicar com clareza e ajudar o RS a retomar aos poucos algumas atividades, enquanto a água baixa em alguns pontos. Nesta segunda, a rede municipal de ensino iniciou a volta às atividades em Porto Alegre.

Participaram do encontro os ministros:

  • da Casa Civil, Rui Costa;
  • da Educação, Camilo Santana;
  • da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes;
  • das Cidades, Jader Filho;
  • da Secretaria Extraordinária para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta;
  • o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Swedenberger Barbosa;
  • e o secretário Nacional de Assistência Social (MDS), André Quintão.

Na reunião, Lula também reforçou que ministros só podem fazer anúncios se tiverem datas para concretizar, e que a comunicação deve ser clara, sem deixar dúvidas para a população. O tom do encontro, segundo participantes ouvidos pelo blog, foi o de articulação entre promessas e ações.

Na semana passada Lula já tinha cobrado os ministros. Na segunda-feira (13), o presidente reclamou de falta de articulação da equipe nas ações relativas às enchentes no Rio Grande do Sul, inclusive com anúncios de medidas antes de elas serem discutidas no governo federal.

A cobrança foi na reunião ministerial “emergencial” sobre a situação das chuvas no estado no Palácio do Planalto. À ocasião, o presidente disse: “Cada ministro que for falar, e cada ministra, tentar falar sempre a mesma coisa que está acontecendo. Não ficar dizendo coisa que não está acontecendo ou ficar inventando coisas que ainda não discutiu”.

“Ou seja, não dá para cada um de nós que tem uma ideia anunciar publicamente uma ideia. Uma ideia é um instrumento de conversa do governo para a gente transformar uma ideia em uma política real. Não é cada um que tem uma ideia ir falando da sua ideia, falando que vai fazer. Isso termina não construindo uma política pública sólida e uma atuação homogênea do governo no caso do RS”, continuou.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS