REDES SOCIAIS

34°C

Fávaro sai em defesa de Lula e diz que declaração sobre Israel é ?posição humanitária?

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Fred Moraes

Única News

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

O ministro de Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro (PSD), de Mato Grosso, utilizou suas redes sociais para defender o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), após a crise internacional gerada por falas do petista, comparando as ofensivas de Israel na Faixa de Gaza ao Holocausto dos judeus na Segunda Guerra Mundial.

Conforme o senador mato-grossense, Lula “adotou uma postura em defesa humanitária e pela pacificação”. Além disso, lembrou que desde o início dos conflitos entre o país judeu e a Faixa de Gaza, o presidente rejeitou o terrorismo.

“A retomada da diplomacia no Brasil, com a volta do presidente Lula, nunca deixou dúvidas do posicionamento contrário do nosso Brasil ao terrorismo. Desde outubro do ano passado, o país condena oficialmente os ataques terroristas do Hamas. Mas também, a trajetória do presidente na defesa humanitária deixa claro o sentimento de estarrecimento e inconformidade com a morte de 29.092 pessoas na Faixa de Gaza, a maioria mulheres e crianças, além de outras tantas desaparecidas”, escreveu Fávaro.

O ministro finaliza afirmando que o Brasil se destaca nos fóruns internacionais como defensor da pacificação, da segurança alimentar, do combate à fome e às injustiças sociais.

“Brasil, que por palavras e atitudes, sustenta seu posicionamento pela pacificação, envidando esforços em prol da segurança alimentar. E é assim, com diálogo, compreensão e defesa humanitária, que o Brasil segue”, finaliza.

Durante uma coletiva de imprensa no último domingo (18), Lula comparou o povo palestino aos judeus perseguidos na Alemanha nazista, por Adolf Hitler.

No mesmo dia, a deputada federal Carla Zambelli (PL) abriu um pedido de impeachment alegando que as falas de Lula eram um crime de responsabilidade e expôs o Brasil ao perigo de guerra.

Até o fim da manhã desta terça-feira (20), 113 deputados haviam assinado o pedido de abertura de um processo de impeachment para retirar o atual presidente.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS