REDES SOCIAIS

28°C

Moraes nega novo pedido de Bolsonaro e data de depoimento é mantida

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um novo pedido do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) para adiar o depoimento para a Polícia Federal (PF), que segue mantido para a quinta-feira (22).

Na decisão, Moraes diz que a defesa já teve “acesso integral à todas as diligências efetivadas e provas juntadas aos autos” e que “não há motivos para qualquer adiamento do depoimento marcado pela Polícia Federal para o dia 22 de fevereiro próximo”.

Na segunda-feira (19), a defesa de Bolsonaro havia pedido adiamento da data, mas Moraes não atendeu ao pedido. Segundo o ministro, a defesa do ex-presidente já teve total acesso ao material das investigações.

Os advogados do ex-presidente afirmaram que ele tem “total interesse em cooperar plenamente com a investigação e provar sua inocência”. Mas que, neste momento, buscam preservar o direito à ampla defesa.

Eles argumentaram que a decisão que autorizou a operação sobre o tema há duas semanas “contém excertos de supostas conversas presentes nos celulares apreendidos ao longo de todo este procedimento investigatório, mídias as quais a defesa não teve acesso até hoje”.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A investigação

A operação Tempus Veritatis foi deflagrada em dia 8 de fevereiro e teve como alvos, além do ex-presidente Jair Bolsonaro, ex-ministros e ex-assessores dele investigados por tentar dar um golpe de Estado no país e invalidar as eleições de 2022, vencidas por Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Desdobramento de inquéritos que tramitam no STF ? o principal deles sendo o das milícias digitais ?, a operação trabalha com a hipótese de que os alvos se dividiam em seis núcleos que agiam de forma simultânea e coordenada com objetivo de dar um golpe de Estado e impedir a posse do presidente Lula.

Parte da investigação envolve a realização de uma reunião ministerial em 15 de julho de 2022. Nela, Bolsonaro diz a ministros que eles não poderiam esperar o resultado da eleição para agir. Os advogados do presidente afirmam, no entanto, que ex-presidente nunca pensou em golpe.

Outros depoimentos

Outros investigados também serão ouvidos nesta semana, além de Bolsonaro. Em Brasília, serão estes:

  • General Augusto Heleno
  • Anderson Gustavo Torres
  • Marcelo Costa Câmara
  • Mário Fernandes
  • Tércio Arnaldo
  • Almir Garnier
  • Valdemar Costa Neto
  • Paulo Sérgio Nogueira
  • Cleverson Ney Magalhães
  • Walter Souza Braga Netto

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS