REDES SOCIAIS

26°C

Fazenda notifica governo do Rio para barrar credenciamento ilegal de casas de apostas esportivas

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O Ministério da Fazenda enviou uma notificação à Loterj (Loteria do Estado do Rio de Janeiro) para que interrompa o credenciamento de casas de apostas esportivas online, as “bets”, nos moldes atuais.

O ministério sustenta que o governo do estado, por meio da Loterj, está credenciando as bets sem estabelecer uma trava para que as empresas atuem somente em território fluminense.

Na prática, diz a Fazenda, as bets se credenciam no Rio mas podem atuar em todo o território nacional, o que é proibido pela legislação federal que trata do assunto.

Em 2020, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou que Estados e municípios explorem jogos, mas respeitando os limites dos respectivos territórios.

‘Drible’

O ?drible? do Rio de Janeiro na legislação preocupa a equipe econômica. A avaliação é que, se a prática for mantida, haverá uma guerra fiscal no país em torno do credenciamento das casas. Além disso, há o risco de desmonte da regulamentação preparada pelo governo federal e aprovada no Congresso.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Outro ponto que preocupa é a queda na arrecadação, já que o Rio de Janeiro estabeleceu uma outorga de R$ 5 milhões para cada empresa, enquanto no governo federal a outorga será de R$ 30 milhões.

Além disso, os impostos do setor são recolhidos pelo governo estadual, e não pela União. A alíquota prevista pela Loterj às bets é de 5% da receita bruta das empresas, contra os 18% a serem cobrados pela Receita Federal.

Técnicos que acompanham a discussão de perto disseram à Globo News que o Ministério da Fazenda negociou mudanças com a Loterj para a brecha fosse extinta, mas não houve acordo. Em função disso, houve a decisão pela notificação.

Até agora, mais de 130 empresas manifestaram ao governo interesse em operar no Brasil — a equipe econômica diz que o edital para credenciamento federal está passando pelos ajustes finais antes da publicação.

A expectativa do governo federal é arrecadar até R$ 10 bilhões ao ano com o mercado de apostas, que também inclui os cassinos virtuais.

Recurso ao STF

Fontes no Ministério da Fazenda afirmam que, se a Loterj não atender aos pedidos da Secretaria de Apostas Esportivas, a União vai recorrer ao STF.

Hoje, a loteria fluminense tem quatro bets credenciadas e outras três em processo de habilitação. O prazo de 30 dias que a Loterj deu para que mais empresas solicitem o credenciamento se encerra em 4 de abril.

A Loteria do Estado do Paraná (Lottopar) também se incomodou com a postura da Loterj e foi à Justiça. A Lottopar aderiu a uma ação civil pública que corre na justiça estadual do Rio e questiona os critérios que a empresa fluminense adotou para o credenciamento de bets.

Em nota pública, a Lottopar declarou que o objetivo é preservar o mercado de apostas no país. Para a loteria paranaense, “o apostador poderá fazer a aposta em qualquer parte do Brasil e sempre será considerada no território do Estado do Rio de Janeiro”.

Até o momento, a Loterj não respondeu aos questionamentos da Globo News.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS