REDES SOCIAIS

21°C

Gisela assume mandato de Neri e comemora: “antes tarde que nunca”  

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

A advogada Gisela Simona (União) comemorou a decisão que cassou o mandato do deputado federal Neri Geller (PP), nesta terça-feira (23) e enfatizou que apesar de tardia, a Justiça finalmente está cumprindo seu papel.

“Por mais que muitos falem que a decisão ocorreu de maneira tardia, eu acredito que é melhor tarde do que não acontecer a Justiça”, disse.

Agora, a advogada assume a cadeira Câmara dos Deputados até o dia 1? de fevereiro do ano que vem. 

À época, Gisela também disputou o pleito que elegeu Neri, mas acabou ficando como suplente do parlamentar.

“Estou emocionada porque a gente sabe o sacrifício que foi feito nessa eleição, a quantidade de pessoas que realmente confiaram na gente”, reiterou.

Ex-superintendente do Procon recebeu 50.682 votos e nunca teve a oportunidade de ocupar a vaga na Câmara Federal. 

“A Justiça está sendo feita e o importante é as pessoas acreditarem no voto. O poder econômico tirou de nós a oportunidade de ter exercido um mandato realmente popular. Embora tardia, fico feliz com o resultado de poder, hoje, com essa decisão da Justiça, assumir o lugar que era nosso, do povo de Mato Grosso”, declarou. 

Cassação de Neri

Geller respondia por abuso de poder econômico, referente às eleições de 2018, quando foi eleito ao Congresso. 

A ação estava sob a relatoria do ministro Mauro Luiz Campbell, e foi seguida por unanimidade.

“No mérito, por unanimidade deu parcial provimento ao recurso ordinário eleitoral para determinar a cassação do diploma do recorrido, Neri Geller, bem como a declaração de sua inelegibilidade pelo período de 8 anos, subsequente ao período de 2018, nos termos do voto do relator”, diz trecho da decisão.

Campbell ainda pontuou que a inelegibilidade já passa a valer mesmo antes da publicação do acórdão. Neri ainda terá o direito de recorrer da decisão que o tornou inelegível.

No processo, o Ministério Público, argumentou que o Progressista havia realizado doações na campanha de 2018, que totalizaram mais de R$ 1,3 milhão em favor de 11 candidatos que concorreram ao cargo de deputado estadual. E durante sua própria campanha, seus gastos chegaram a R$ 2,4 milhões. Ao somar as doações e o custo de sua campanha, ultrapassaram o limite, que à época, era de R$ 2,5 milhões para cada deputado federal.

Neri era o candidato da esquerda, apoiado por PT, PV e PCdoB. Além de PP, PSD, Solidariedade e parte do MDB.

NOTA OFICIAL

Sobre o julgamento do TSE, desta terça-feira (23), há que se declarar que:

– O deputado federal Neri Geller foi cassado injustamente e prova irrefutável disso foi a decisão encima de um pedido que sequer fazia parte dos autos.

– Geller foi condenado por ser produtor rural, e por natureza intrínseca, vender soja e milho.

– A partir da decisão do TSE, a assessoria jurídica do parlamentar continuará trabalhando pelos meios judiciais cabíveis ao caso.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS