REDES SOCIAIS

18°C

Grupo de brasileiros receberá atendimento médico e psicológico quando chegar ao Brasil, diz secretário do MJ

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O secretário nacional de Justiça, Augusto de Arruda Botelho, afirmou à GloboNews que o grupo de brasileiros que deixou a Faixa de Gaza pelo Egito neste domingo (12) receberá “atendimento integral” ao chegar a Brasília ? o que está previsto para acontecer nesta segunda-feira (13).

Os brasileiros começaram a se deslocar na manhã deste domingo (12) e no início da tarde embarcaram em veículos fretados pela Embaixada Brasileira no Egito rumo à capital Cairo, em uma viagem de cerca de seis horas. A previsão é de que esse trajeto seja concluído por volta das 20h, no horário local (15h, de Brasília).

O grupo deve ficar na capital egípcia até a manhã de segunda, no horário local, para o voo de retorno ao Brasil na aeronave presidencial VC-2 (Embraer 190). A previsão é que os brasileiros desembarquem em Brasília por volta das 23h30.

“Contaremos com equipes do Ministério da Saúde para fazer um atendimento médico, psicológico e assistentes sociais. Contaremos com equipes dos organismos internacionais e agências da ONU que tratam especificamente da matéria de migração e refúgio”, declarou o secretário Augusto de Arruda Botelho.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Segundo ele, a Organização Internacional para Migrações (OIM) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) também estarão presentes na recepção aos brasileiros com técnicos e intérpretes que têm experiência em repatriação.

O secretário do Ministério da Justiça informou ainda, que a Polícia Federal e a Receita Federal também estarão no local para fazer a “regularização migratória” e o desembaraço aduaneiro necessário para o ingresso oficial no país.

Do grupo de 32 pessoas que desembarcarão em Brasília, 22 são brasileiras e 10 são palestinas, sendo que sete já contam com registro nacional migratório e três ainda não. O secretário informou que 14 pessoas irão para uma cidade em São Paulo, cujo nome ainda não foi divulgado, e o restante ficará com suas famílias.

Botelho disse ainda que, nas próximas semanas, serão providenciadas carteiras de trabalho para o grupo que está chegando da Faixa de Gaza.

Ele explicou que ainda não está definido se será concedida uma ajuda de custo a essas pessoas, mas acrescentou que o governo “jamais deixará ninguém desatendido”.

“Detalhes sobre auxilio posterior serão divulgados e discutidos nas semanas posteriores”, afirmou.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS