REDES SOCIAIS

35°C

Lula diz que fará ajuste fiscal ‘necessário’, mas não ‘em cima do pobre’

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reconheceu nesta sexta-feira (28) a importância de fazer cortes de gastos para equilibrar as contas públicas, mas negou a possibilidade de tomar qualquer medida que possa retroceder nas agendas sociais do governo.

O petista voltou garantir que não tomará medidas que mexam em salário mínimo e benefícios ? por exemplo, desobrigando a correção desses valores pela inflação do período. Segundo ele, o governo “fará os ajustes necessários”, mas “não em cima do povo pobre”.

“Agora mesmo estão dizendo que é importante ter preocupação de ajuste fiscal, que o salário mínimo está ficando muito alto. Que salário mínimo alto? O mínimo é o mínimo, gente, não tem nada salário mínimo alto”, declarou o petista.

“Eu farei o ajuste necessário, porque eu não quero gastar mais do que a gente ganha, mas eu quero dizer para vocês, não será nunca em cima do povo trabalhador, e do povo pobre que eu vou fazer que vou fazer ajuste fiscal nesse país. Nunca” afirmou o presidente.

A declaração foi dada em Juiz de Fora (MG), onde Lula participa do evento de inauguração de um viaduto na cidade.

Pressão por cortes de gastos

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Integrantes da equipe econômica já indicaram que podem enviar projetos para coibir supersalários no funcionalismo e mudar regras de previdência de militares, além de rever bases de dados de benefícios sociais.

Lula, no entanto, tem resistido. Não é a primeira vez que o presidente afirma que não vai aceitar cortar despesas de projetos e setores que afetam as pessoas menos favorecidas.

Na quinta-feira (27), em entrevista à rádio Itatiaia, em Belo Horizonte, Lula mencionou que não aceita mexer em benefício social, mas que o governo está fazendo um pente-fino e que se “houver gente recebendo sem direito, será cortado”, mas enfatizou que as pessoas mais pobres vão continuar recebendo benefícios do governo federal.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS