REDES SOCIAIS

28°C

Marília Arraes diz que vai criar bilhete único no transporte, acabar com faixas salariais nas polícias e reduzir impostos; veja todos os trechos

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A candidata ao governo de Pernambuco Marília Arraes (Solidariedade) foi a primeira a ser entrevistada na série do g1, que começou nesta segunda-feira (22). À apresentadora Clarissa Góes, ela disse que pretende criar um bilhete único para que os trabalhadores possam se locomover por seis meses no estado, que vai acabar com as faixas salariais nas polícias do estado e que pretende reduzir os impostos para incentivar investimentos e a formalização do trabalho.

Na terça-feira (23), Anderson Ferreira (PL) é entrevistado. Depois dele, vêm Danilo Cabral (PSB), na quarta-feira (24); Raquel Lyra (PSDB), na quinta-feira (25) e Miguel Coelho (União Brasil), na sexta-feira (26). Eles tiverm 5% ou mais na pesquisa Ipec de 15 de agosto e, por isso, serão entrevistados ao vivo por Clarissa Góes, apresentadora do Bom Dia Pernambuco, direto do estúdio do g1, no Recife.

Jadilson Bombeiro (PMB), Ubiracy Olímpio (PCO), João Arnaldo (PSOL), Jones Manoel (PCB), Pastor Wellington (PTB) e Claudia Ribeiro (PSTU), que tiveram menos que 5%, participarão de entrevistas gravadas, que serão exibidas de 29 de agosto a 6 de setembro.

Veja, abaixo, todos os trechos da entrevista de Marília Arraes ao g1:

Falta de vagas na saúde


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A primeira pergunta foi sobre a falta de vagas no sistema público de saúde em Pernambuco e a superlotação de hospitais. Ela afirmou que o grande problema de saúde do estado é a centralização dos serviços no Grande Recife. “Nós temos muitos serviços centralizados na Região Metropolitana. Para você ter uma ideia, hoje, aqui na Região Metropolitana, temos em média 480 habitantes por leito, enquanto no interior é cerca de 800 habitantes por leito”, disse. Ela prometeu, por exemplo, construir um hospital geral em Petrolina, para atender alta complexidade, além de um hospital de câncer no Sertão do Araripe, concluir o Hospital de Serra Talhada e construir o Hospital da Mulher de Caruaru.

Programa Mais Médicos


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Em relação ao déficit de médicos na atenção à saúde, ela pretende dar incentivos para que os profissionais sejam formados e passem um tempo da carreira no interior, para atuar nas regiões em que mais falta profissionais. “Custear o curso de medicina de pessoas que não podem pagar, vindas de escolas públicas do interior, da Região Metropolitana, da periferia, para que elas possam se formar em medicina com o compromisso de, após concluir o curso, passar três anos no interior”, afirmou.

Problemas no Hospital da Restauração


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A candidata também criticou a infraestrutura do Hospital da Restauração, no Centro do Recife, maior emergência pública do Norte e Nordeste. Há, segundo ela, um projeto para diagnosticar os problemas estruturais do local, ajustar os hospitais do Grande Recife para desafogar o HR e recuperar o que precisa ser recuperado. “Havendo uma reestruturação física do Hospital da Restauração, que é o coração da saúde, é uma referência, aliás, como está a Restauração, hoje, é um reflexo de como está a saúde em Pernambuco”, disse.

Tratamento de saúde para mulheres e gestantes


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Marília Arraes prometeu criar 15 Casas da Mulher Pernambucana, com salas de parto humanizado, alternativas de inserção em programas sociais e demais ações de cidadania. A proposta é de criar 12 estruturas desse tipo no interior e duas no Grande Recife, algo que, segundo ela, “É perfeitamente possível de se priorizar, o custo também é baixo”, com investimento a R$ 1,3 milhão, cada.

Violência e Pacto Pela Vida


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A candidata disse que pretende, como forma de prevenir a violência, aproximar as forças policiais da população, algo que, segundo ela, faz com que o combate ao crime seja mais efetivo. Disse que vai investir em tecnologia para melhorar as investigações, integrar as guardas municipais e acabar com faixas salariais ao longo de quatro anos. “Tem gente que está lá no mesmo posto, na mesma graduação ou patente, e está recebendo salários diferentes”, disse.

Mudança do Complexo do Curado


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Sobre a ressocialização e a superlotação no Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife, Marília Arraes prometeu retirar do Recife as unidades. Segundo ela, é preciso fazer um trabalho integrado com presídios para combater o crime organizado, e redistribuir o ICMS para incentivar a descentralização dos presídios. “O correto são presídios menores, vamos incentivar alguns municípios, municípios estratégicos, a receberem presídios de menor porte”, declarou.

Mobilidade e Bilhete Único


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A candidata disse, também, que pretende implementar um bilhete único para o transporte público no Grande Recife, bem como fazer licitações para as concessionárias responsáveis pela mobilidade. “Nós temos hoje uma má organização do sistema de transporte, as empresas que estão funcionando nunca passaram por uma licitação”, declarou. Sobre o bilhete, ela disse que o trabalhador vai pagar uma tarifa social para comprar o bilhete e, assim, se locomover um semestre inteiro.

Problemas no Metrô do Recife


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Sobre os frequentes problemas no Metrô do Recife, Marília Arraes disse ser contrária à proposta de estadualização do metrô, hoje gerido pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). “O governo do estado chegou a tentar colocar em execução o BRT, mas nunca saiu a contento. Teve muito recurso, tanto para o BRT quanto para a navegabilidade do Capibaribe, que nunca funcionou”, disse. Ela afirmou que é preciso discutir o papel do governo federal na manutenção do sistema.

Saneamento e abastecimento de água


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Sobre os problemas de abastecimento de água e saneamento, ela disse ser preciso “abrir a caixa-preta” da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) para entender por que o serviço não é prestado da forma como deveria. “Pernambuco hoje é um estado que falta água de Afrânio, que é a última cidade do Sertão, até a Região Metropolitana, até a Ilha de Itamaracá”, disse. Ela afirmou que o estado é um dos que mais desperdiçam água no Brasil e prometeu “arrumar a gestão da Compesa” e entender a Parceria Público Privada da empresa. “Não pode é ficar há mais de 10 anos uma PPP que não sai do papel, precisa licitar esses sistemas de saneamento, também”, disse.

Desemprego e geração de renda


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Sobre o desemprego e geração de renda, Marília Arraes disse que pretende melhorar o ambiente de investimento de Pernambuco, que, segundo ela, penaliza o empresário por causa da burocracia, multas e tempo de fiscalizações. Ela disse que pretende agilizar a fiscalização de cargas no estado por meio da implementação de metas e prazos. “Os órgãos do governo vão ter prazo para fiscalizar. Passou esse prazo, automaticamente todos os pedidos vão ser aprovados”, afirmou, complementando que, no início, será necessário passar por um período de adaptação. Também prometeu criar o Novo Chapéu de Palha e um programa de eliminação da pobreza no estado.

Competitividade de Pernambuco nos investimentos


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Sobre a competitividade de Pernambuco com relação a investimentos no Brasil, ela disse que o estado tem alíquotas de imposto com valores acima da média, e afirmou que isso impacta a arrecadação e a formalização do emprego. “Com certeza os empresários preferem estar regulares, mas é preciso que seja algo que dê para pagar”, disse, ao propor redução da carga tributária.

Crédito para empreendedores


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Marília Arraes disse que pretende buscar junto ao BNDES e ao governo federal investimentos para criar linhas de crédito para empreendedores. Disse, também, que vai priorizar grandes investimentos como o Porto de Suape e a Ferrovia Transnordestina.

Retomada do turismo


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Para a retomada do turismo, Marília Arraes disse que pretende recuperar estradas, cuidar da segurança pública, do abastecimento de água e da infraestrutura. “Não adianta a gente falar de atrair turista se não tiver um local bom para se viver, porque o turista não vai sair da casa dele para passar perrengue”, afirmou. Ela também disse que é preciso “arrumar a casa” e escutar os que fazem o turismo, integrando o turismo e a cultura.

Incentivo à cultura


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Marília Arraes prometeu criar uma política permanente de investimento na cultura, para alinhá-la à cidadania, inclusive nas escolas. “Temos esse compromisso de dar uma assistência técnica, inclusive, aos artistas, para aqueles que fazem cultura não ficarem reféns da burocracia. Hoje, os artistas se apresentam e não recebem”, afirmou.

Recuperação de rodovias


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A candidata criticou o estado das rodovias estaduais e disse que o percentual de receita corrente líquida investido em rodovias no Ceará, Maranhão, Piauí e Bahia chega a mais que o dobro do praticado em Pernambuco. Ela disse, ainda, que há municípios praticamente isolados, como Lagoa do Ouro, cujas rodovias estão sucateadas. “A gente tem o compromisso de, até o segundo ano de governo, investir no mínimo 10% da receita corrente líquida num programa de conservação e manutenção das estradas”, afirmou.

Habitação e mortes em áreas de risco


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A candidata do Solidariedade também falou sobre a tragédia das chuvas que deixou mais de 130 mortos em Pernambuco, entre maio e junho deste ano. Ela prometeu investir, anualmente, 1% da receita corrente líquida numa política de estado de habitação. Ela disse que o que ocorreu foi uma “tragédia anunciada”. “Para você ter uma ideia, Paulo Câmara, nos últimos oito anos, investiu R$ 500 milhões em propaganda, e R$ 140 milhões em habitação”, declarou.

Educação integral e profissionalizante


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Marília Arraes afirmou que pretende, progressivamente, aumentar o ensino integral, tanto para o ensino fundamental quanto para as crianças que precisam de creche. Ela disse que, para melhorar a qualidade do ensino superior e profissionalizante, é preciso investir na base. ?A gente está hoje com uma meta de 50% dos alunos de ensino fundamental estudarem em ensino integral, ao longo dos quatro anos; 60% das crianças de zero a 3 anos estudarem em creche em tempo integral; e 90% das crianças de 4 e 5 anos estarem na pré-escola, que já é lei?, disse. Ela também prometeu criar o Pró-Jovem Pernambuco, voltado a vagas de tecnologia.

Política


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Marília Arraes também falou sobre política, e rebateu críticas de adversários políticos de que teria um projeto pessoal em ser eleita. Ela falou sobre a coligação nacional da candidatura do ex-presidente Lula (PT) e Alckmin (PSB). O ex-presidente apoiou a candidatura de Danilo Cabral (PSB), mas Marília Arraes também utiliza a imagem do candidato à Presidência na campanha estadual. “Quem tem que explicar é o PSB, que, quando o vento sopra para um lado que não é favorável a Lula, eles vão e apoiam Aécio Neves, apoiam o impeachment, fazem uma campanha difamatória contra o presidente Lula e seu partido como fizeram em 2020. E, quando está favorável ao presidente Lula, eles colam em Lula para tentar se aproveitar da popularidade dele”, declarou.

Diálogo com o prefeito do Recife


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A candidata também comentou a relação com o prefeito do Recife, João Campos (PSB), de quem é prima de segundo grau e com quem disputou a prefeitura em 2020, quando era filiada ao PT. “Não somente com ele, mas com qualquer prefeito que não tenha nos apoiado, nossa relação será institucional, com o maior respeito, até porque o povo não merece pagar a conta por divergência política”, afirmou.

Próximos entrevistados

Os candidatos entrevistados ao vivo, nesta semana, tiveram 5% ou mais de intenção de voto na pesquisa Ipec de 15 de agosto. Eles têm direito a uma hora de entrevista. Os próximos entrevistados são os seguintes:

  • Anderson Ferreira (PL) – 23/08 – 14h;
  • Danilo Cabral (PSB) – 24/08 – 14h;
  • Raquel Lyra (PSDB) – 25/08 – 14h;
  • Miguel Coelho (União Brasil) – 26/08 – 14h.

Os outros seis candidatos terão entrevistas de 20 minutos, gravadas sem corte, exibidas entre 29 de agosto e 3 de setembro. A ordem é a seguinte:

  • Jadilson Bombeiro (PMB): 29/08 – 14h;
  • Ubiracy Olímpio (PCO): 30/08 – 14h;
  • João Arnaldo (PSOL): 31/08 – 14h;
  • Jones Manoel (PCB): 01/09 – 14h;
  • Pastor Wellington (PTB): 02/09 – 14h;
  • Claudia Ribeiro (PSTU): 03/09 – 14h.

Todas as entrevistas ficam disponíveis na íntegra, em vídeo, e em áudio, como episódio especial do podcast “O Assunto”.

A iniciativa do g1 de entrevistar em podcast os candidatos começou em junho, com a série do podcast “O Assunto”, apresentada pela jornalista Renata Lo Prete, com os postulantes à corrida presidencial.

Durante as entrevistas, os candidatos também responderão a perguntas do público.

Clique AQUI para participar. Lembre-se de colocar ?Entrevista g1? no título e, no campo mensagem, envie sua pergunta.

VÍDEOS: mais vistos de Pernambuco nos últimos 7 dias

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS