REDES SOCIAIS

28°C

Maysa Leão diz que “pegará no pé” da Câmara para votar contas de Emanuel este ano

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

A vereadora Maysa Leão (Republicanos) afirmou que insistirá para que a Câmara Municipal de Cuiabá vote e aprecie as contas da Prefeitura de Cuiabá, referente ao ano de 2022, ainda neste ano. A parlamentar disse que sua equipe jurídica esteve entrando em contato com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para pedir que  o órgão de controle encaminhasse o documento oficial com o parecer da Corte de Conselheiros antes do recesso parlamentar. 

Em entrevista à imprensa nesta quinta-feira (15), Maysa disse que não existe motivos para que o TCE demore para notificar a Câmara, criando assim empecilhos para apreciação das contas públicas, principalmente pelo próprio Tribunal emitir parecer negativo e reprovar a documentação.

“A votação é política. Se chegasse essa semana, ele não conseguiria. Ele não teria os 17 votos que ele precisa para aprovar as contas, mesmo com todos indíces e pareceres que afirmam não ter como permitir a forma como o prefeito toca a prefeitura e lida com finanças. Há uma pressão para que não seja votada, mas eu farei outra pressão para que seja votada semana que vem. Eu faço um acompanhamento junto a minha equipe jurídica e sabemos que houve parecer para notificar a Câmara. Farei o possível e impossível para que seja votada esse ano”, contou Maysa. 

O parecer da Corte de Contas precisa ser enviado para o Parlamento municipal, para que seja colocado em votação no Plenário, podendo os vereadores acatarem ou não a recomendação do órgão fiscalizador. Isso quer dizer que, apesar de o relatório do Tribunal ser baseado em levantamento e estudos técnicos, a votação, no final, é política.

As contas de governo municipal referentes ao ano de 2022, sob gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), foram reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) no último 7 de dezembro. O placar foi de 6 a 1. 

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS