REDES SOCIAIS

18°C

Ministério Público denuncia Edna e quer ressarcimento de R$ 40 mil; petista responde

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

O promotor de Justiça, Mauro Zaque, adentrou com uma ação de improbidade administrativa , por conta de um suposto ato de improbidade administrativa do uso ilegal da Verba Indenizatória, e pede ressarcimento ao erário contra a ex-vereadora por Cuiabá, cassada, Edna Sampaio (PT). Ainda na denúncia o promotor pediu o bloqueio das contas bancárias da petista para garantir o pagamento da quantia de R$ 40 mil, sendo R$ 20 mil de danos e outros R$ 20 mil como devolução aos cofres públicos.

No documento, mesmo Edna já tendo apresentado a prestação de contas do seu mandato com notas fiscais e depósitos, apontou incongruências entre as informações constantes na prestação de contas e nos respectivos comprovantes bancários apostos nos mesmos relatórios.  

“Isso porque, nos meses de setembro e outubro os gastos foram realizados no cartão de credito nº 4854 XXXX.XXXX.8803 e não no cartão de credito nº 4854.XXXX.XXXX.8247 que segundo os relatórios de prestações contas, está vinculada a conta corrente nº 417-0 da agência 8629-0 do Banco do Brasil e seria a conta destinada aos gastos referentes às despesas realizadas pelo gabinete da parlamentar durante a gestão do seu mandato. Da mesma forma, nos meses de novembro e dezembro, as despesas elencadas nos cartões de crédito nº 4984.XXXX.XXXX.9036 e 5464.XXXX.XXXX.5416 foram respectivamente realizadas nos cartões 4984.XXXX.XXXXX.3675 e 5522.XXXX.XXXX.0690. Vale destacar que todos os cartões mencionados tem como titular a Vereadora Edna Luzia Almeida Sampaio”, diz trecho da denúncia protocolada em 1º de novembro.

Conforme o Ministério Público, a defesa da ex-vereadora informa que que os gastos questionados eram relativos à realização de atividades externas e que as despesas eram justificadas. Porém, o órgão discordou das alegações e afirmou que existem evidências de irregularidades, como depósitos feitos por Laura Natasha em duas contas diferentes. O MPE solicitou notas fiscais, comprovantes de pagamento e outros documentos para verificar a veracidade das alegações da ex-vereadora.

Na manhã desta sexta-feira (03), Edna se defendeu ao afirmar que está tranquila contra a denúncia e segue acreditando na decisão judicial que o Tribunal de Justiça emitirá sobre sua cassação para garantir sua legitimidade. 

“Eu estou impactada, não esperava que o Ministério Público tomaria essa decisão. Mas tudo bem, sigo acreditando na Justiça, vamos seguir na nossa luta. Não me resta outra saída a não ser enfrentar tudo. Enfrentarei de cabeça erguida”, explica.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS