REDES SOCIAIS

30°C

Ministro diz que vai se reunir com Leite na próxima semana para discutir plano para aviação regional no RS

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O ministro dos Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, informou nesta sexta-feira (10) à GloboNews que vai reunir na próxima semana com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, para discutir o plano para a avaliação regional do estado.

O Rio Grande do Sul enfrenta uma tragédia sem precedentes, causada pelas enchentes e inundações provocadas pelas fortes chuvas que têm atingido a região. Ao todo, mais de 136 pessoas já morreram, outras cerca de 400 mil estão fora de suas casas, e cerca de 90% dos municípios registraram algum tipo de problema em razão dos temporais.

Segundo Silvio Costa Filho, ainda não está definido o local da reunião entre ele e Eduardo Leite ? se em Brasília ou em Porto Alegre. Isso porque há uma expectativa em Brasília que o governador se dirija à capital na próxima semana para participar de um anúncio do governo federal de ajuda ao estado.

“[Se o governador for a Brasília] nós faremos uma reunião no ministério para discutir com ele o plano de aviação regional e algumas ações de operação logística no estado, de ampliação das rotas de voos. A ideia é essa”, afirmou o ministro.

Silvio Costa Filho acrescentou que, se Leite não for a Brasília, a reunião pode acontecer no Rio Grande do Sul.

Fechado desde 3 de maio, o Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, capital do estado, não tem previsão de reabertura.

Diante desse cenário, o Ministério dos Portos e Aeroportos informou ter discutido a “malha emergencial” com a Casa Civil, o Ministério da Defesa, a Infraero, entidades do setor e as companhias aéreas.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Malha aérea ‘emergencial’

Conforme o anúncio do Ministério dos Portos, a utilização dos aeroportos regionais pelas companhias aéreas deve levar a um aumento de 116 voos semanais. Desse total, 88 no Rio Grande do Sul e 28, em Santa Catarina.

Vão ser utilizados os seguintes aeroportos:

  • Rio Grande do Sul: Uruguaiana, Santo Ângelo, Santa Maria, Pelotas, Caxias do Sul, Passo Fundo e Canoas (este último é base aérea, ainda não há data definida para os voos serem autorizados);
  • Santa Catarina: Florianópolis e Jaguaruna.

De acordo com a Abear, entidade que representa as companhias, os voos vão partir de aeroportos como os de Guarulhos e Congonhas, no estado de São Paulo, e do Galeão, no Rio de Janeiro.

Segundo as estimativas do governo, o número de passageiros nesses aeroportos pode saltar de 7 mil para 20 mil (13 mil a mais por semana).

De acordo com Silvio Costa Filho, a decisão do governo pode variar conforme a demanda apresentada pela população.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS