REDES SOCIAIS

26°C

Polícia detém 4 pessoas por pânico em assembleia estudantil na Bolívia que terminou com 4 mortos

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A polícia deteve nesta terça-feira (10) quatro pessoas pelo lançamento de uma bomba de gás lacrimogênio em um ginásio em Potosí, na Bolívia, durante uma assembleia estudantil na segunda-feira.

Com as bombas de gás, provocou-se um tumulto que deixou quatro mortos.

Leia também

Os dois primeiros foram detidos ainda na segunda-feira à noite, disse o subchefe de polícia de Potosí, Carlos Alberto Oblitas.


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Os quatro são dirigentes estudantis da Universidade Tomás Frías, onde o incidente ocorreu. Eles foram apresentados à imprensa pelo chefe policial, que acrescentou que eles já foram colocados à disposição do Ministério Público.

Um deles, de 25 anos, “seria o autor e responsável material e intelectual do ocorrido”, segundo o chefe policial.

Todos haviam participado da convocação da assembleia estudantil para eleger novos dirigentes. Contudo, se o andamento da reunião não se desenvolvesse conforme eles esperavam, então seria preciso ver uma maneira de suspender a votação.

Após o lançamento da bomba de gás, os estudantes tentaram sair do ginásio poliesportivo fechado, o que causou uma debandada que deixou quatro mortos e 85 feridos.

O vice-ministro de Governo da Bolívia, Roberto Ríos, disse que as investigações continuam para estabelecer se existem mais responsáveis.

O reitor da Universidade Tomás Frías, Pedro López, afirmou que houve um ato criminoso.

A promotoria ainda não detalhou quais serão as acusações contra os envolvidos, mas adiantou que uma delas seria de homicídio culposo, com uma pena que vai de seis meses a três anos de prisão, de acordo com o Código Penal boliviano.

Veja os vídeos mais assistidos do g1

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS