REDES SOCIAIS

21°C

Programa é lançado para retomada de cirurgias, 100 serão realizadas por semana

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

O governador Mauro Mendes (União) apresentou nesta segunda-feira (10) o plano para a retomada de cirurgias em Cuiabá. Foi dado o pontapé para que, o antigo Pronto-Socorro de Cuiabá seja reativado em 100% com a função para realização semanal de 100 cirurgias. A estratégia é que o número seja dobrado para duzentas semanais.

“100 cirurgias por semana estão previstas, depois chegaremos a 200 cirurgias por semana. Queremos nos próximos dias fazer o mesmo trabalho no São Benedito que está praticamente paralisado, a unidade deve ficar com cirurgias cardíacas e vasculares. No HMC, além do pronto atendimento ficarão as cirurgias neurológicas”, ressalta Mendes.

Mauro pontuou que com a especialização dos hospitais e com as redes contratualizadas, nos próximos meses surgirão os resultados.A saúde pública de Cuiabá tem uma imensa fila de espera por cirurgias de urgência e emergência, com aproximadamente 110 mil pacientes aguardando pelos procedimentos.

A interventora Danielle Carmona disse que a meta inicial é em 12 dias atender quase 300 pessoas. “Já temos uma programação ao longo desses 12 dias com 292 pacientes, todos aguardando desde 2019, e também com a abertura do ambulatório para realizar o risco cirúrgico desses pacientes. Na sexta-feira também teremos a realização de cirurgias pediátricas, com oito cirurgias por dia”, informou a interventora.

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Sérgio Ricardo confirmou que um dos apontamentos da intervenção na Saúde de Cuiabá é em relação a fila por cirurgias. Segundo o conselheiro, um dos dados alarmantes é que das 110 mil pessoas que aguardam cirurgia, 9 mil morreram sem serem atendidas. “Recebemos com muita alegria a notícia que o governador Mauro Mendes entendeu a situação e está retomando o atendimento no pronto socorro, que começa a funcionar na totalidade. É o anseio de muita gente. A intervenção tem que dar certo. Ninguém quer a intervenção, mas se está aqui, ela tem que dar certo. O mais importante é que a sociedade vai ter o atendimento restabelecido”.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS