REDES SOCIAIS

33°C

PSD-MT diz que cobranças de notas promissórias encontradas na casa de Borgato são da sigla

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

image

O Partido Social Democrático em Mato Grosso (PSD-MT) emitiu nota na tarde desta terça-feira (03) para rebater informações divulgadas pela imprensa, na parte da manhã, de que a Polícia Federal (PF) apreendeu duas intimações de cobrança de notas promissórias do 4º Serviço Notorial de Cuiabá em nome do senador Carlos Henrique Baqueta Fávaro, encontradas no quarto do ex-secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), Nilton Borgato (PSD).

No dia 19 de abril, Nilton foi alvo de um mandado de busca e apreensão, além de ter sido preso, por suposto envolvimento em um esquema internacional de tráfico de drogas.

Em nota, o PSD-MT esclareceu que “ao contrário do que foi amplamente noticiado, intimações de notas promissórias não são notas promissórias propriamente ditas. Trata-se de instrumento utilizado para notificar alguém acerca da existência de uma dívida”. Além disso, a agremiação afirmou que essas intimações de cobrança se tratam de um débito do PSD, e não propriamente dito do senador Carlos Fávaro, presidente da sigla.

“No caso em questão, a intimação tratava de um débito do PSD-MT, o que justifica a posse de tais documentos com o Sr. Borgato, integrante da sigla”, diz trecho da nota.

Os documentos foram localizados no apartamento de Borgato no bairro Jardim Aclimação, em Cuiabá, segundo o termo de apreensão ao qual o teve acesso. O ex-secretário é investigado no âmbito da Operação Descobrimento.

Também foram apreendidas três folhas contendo tabelas com nomes, números de notas fiscais e valores, intituladas “lista pagamento da gráfica”, “lista dos candidatos PSD” e “lista dos candidatos PP”, encontradas em seu quarto. Antes de ser preso, Nilton pediu exoneração do Governo e pretendia ser candidato a deputado federal.

Foram localizados ainda três comprovantes de depósitos bancários, com as inscrições praticamente apagadas, em nome de Auto Comércio de Veículos, no valor de R$ 43,7 mil e R$ 50. O terceiro favorecido foi o funcionário público federal Ricardo Agostinho, integrante do primeiro escalão da organização criminosa, no valor de R$ 52 mil.

Todos os comprovantes estavam grampeados a um pedaço de papel contendo valores, todos encontrados no quarto de Nilton.

O PSD-MT disse, em nota, que as intimações são de uma transação comercial da sigla com uma empresa, e que tal dívida já foi quitada mediante um acordo entre as partes envolvidas.

A nota finaliza afirmando que o partido está “à disposição das autoridades para eventuais esclarecimentos complementares que se fizerem necessário”.

Leia a nota do PSD-MT na íntegra, enviada ao :

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A respeito da informação sobre a localização de duas intimações de notas promissórias encontradas no apartamento do Sr. Nilton Borges Borgato, o Diretório Regional de Mato Grosso do Partido Social Democrático vem a público esclarecer que:

– Ao contrário do que foi amplamente noticiado, intimações de notas promissórias não são notas promissórias propriamente ditas. Trata-se de instrumento utilizado para notificar alguém acerca da existência de uma dívida;

– No caso em questão, a intimação tratava de um débito do PSD-MT, o que justifica a posse de tais documentos com o Sr. Borgato, integrante da sigla;

– As intimações tratavam de uma transação comercial do partido com uma empresa, que já foi negociada e cujos pagamentos são feitos conforme acordo entre as partes;

– Tal relação, inclusive, já foi exaustivamente investigada pelas autoridades competentes, tendo seu arquivamento sido pedido pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, o que foi acatado pela Justiça diante a ausência de qualquer indício de irregularidade;

– O PSD-MT permanece, como sempre, à disposição das autoridades para eventuais esclarecimentos complementares que se fizerem necessário.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS