REDES SOCIAIS

21°C

Quaest: Avaliação do governo Lula entre agentes do mercado piora; a do trabalho de Haddad melhora

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Uma pesquisa Quaest divulgada nesta quarta-feira (20) apontou que a avaliação do governo é negativa para 64% dos agentes do mercado financeiro. O número é 12 pontos percentuais mais alto que o último levantamento, realizado em novembro. Enquanto 6% veem como positivo.

O levantamento ouviu entre os dias 14 e 19 de março 101 gestores, economistas, analistas e tomadores de decisão do mercado financeiro com fundos de investimento com sede em São Paulo e no Rio de Janeiro, e que trabalham em 84 empresas gerenciando R$ 3,5 trilhões.

O estudo, encomendado pela Genial Investimentos, tem margem de erro de 3,4 pontos percentuais para mais ou para menos.

50% dos entrevistados também avaliaram como positivo o trabalho do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, o número é sete pontos percentuais acima do último estudo. Enquanto 12% enxergam como negativo (12 pontos percentuais mais baixo que os dados de novembro).

Veja com mais detalhes a avaliação de Lula e de Haddad:

Para 51% os agentes do mercado financeiro ainda, Haddad está mais forte do que no começo do mandato; 35%, o veem como igual; e 14%, como menos forte no mesmo período.

Política econômica

A pesquisa indica também como os entrevistados enxergam a expectativa em relação à economia, bem como a expectativa para o produto interno bruto (PIB), perspectivas para a inflação de 2024 em relação a 2023, se o governo conseguirá zerar o déficit e as expectativas para a taxa de juros.

Em relação à expectativa econômica para os próximos 12 meses, 47% acreditam que ficará do mesmo jeito; 32%, vai piorar; e 21% de que vai melhorar.

Se comparado ao último estudo de novembro, a porcentagem de pessoas que acreditam em uma piora caiu 23 pontos percentuais; dos que acreditam que ficará do mesmo jeito subiu 23 pontos percentuais ? dessa forma, a quantidade dos que veem melhora seguiu igual.

Já sobre a expectativa dos entrevistados para o PIB de 2024, o levantamento apontou que:

  • 58% – Acreditam na atual expectativa do mercado (de 1,78%);
  • 32% – Acima do esperado pelo mercado;
  • 10% – Abaixo do esperado pelo mercado

E quanto as perspectivas para a inflação de 2024, em relação a 2023:

  • 46% – Acreditam que reduzirá em relação a 2023;
  • 36% – Manter semelhante ao último ano;
  • 19% – Aumentar em relação ao mesmo período

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), considerada a inflação oficial do país, está na casa dos 4,50%, no acumulado de 12 meses. Em 2023, o indicador fechou o ano em 4,62%.

{
“data”: {“app”:{“image”:”https://s2-g1.glbimg.com/SvpnLARdvKh0j3PbFZgDlG4BDqg=/540×304/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/U/p/AvWvjwQUAIbVbblJursQ/frutas-legumes-e-verduras-mercado-municipal-de-curitiba.jpg”},”title”:”Relembre como foi o IPCA de 2023″,”type”:”editorial”,”url”:”https://g1.globo.com/economia/noticia/2024/01/11/ipca-precos-sobem-056percent-em-dezembro.ghtml”,”web”:{“desktop”:”https://s2-g1.glbimg.com/y_ATV3qLP-1mpJSLWlnAQJZHrmU=/320×200/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/U/p/AvWvjwQUAIbVbblJursQ/frutas-legumes-e-verduras-mercado-municipal-de-curitiba.jpg”,”image”:”https://s2-g1.glbimg.com/SvpnLARdvKh0j3PbFZgDlG4BDqg=/540×304/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/U/p/AvWvjwQUAIbVbblJursQ/frutas-legumes-e-verduras-mercado-municipal-de-curitiba.jpg”,”mobileSizes”:{“L”:”https://s2-g1.glbimg.com/VAMHV__dLeiFunvFxTXiN1dl9jc=/414×468/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/U/p/AvWvjwQUAIbVbblJursQ/frutas-legumes-e-verduras-mercado-municipal-de-curitiba.jpg”,”LL”:”https://s2-g1.glbimg.com/AoG1vM3Yov_Le1A1MgqpTxhwQxE=/480×543/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/U/p/AvWvjwQUAIbVbblJursQ/frutas-legumes-e-verduras-mercado-municipal-de-curitiba.jpg”,”M”:”https://s2-g1.glbimg.com/JPTTb5ADkh7G-ly73yMBppONCfo=/375×424/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/U/p/AvWvjwQUAIbVbblJursQ/frutas-legumes-e-verduras-mercado-municipal-de-curitiba.jpg”,”S”:”https://s2-g1.glbimg.com/v3Pd41iV5omaSh7F1Fhg3lOYe6g=/320×362/middle/smart/https://i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2024/U/p/AvWvjwQUAIbVbblJursQ/frutas-legumes-e-verduras-mercado-municipal-de-curitiba.jpg”}}}
}

Ao serem questionados se o governo conseguirá zerar o déficit em 2024, 99% dos entrevistados acreditam que não, enquanto 1% julga que sim. Em novembro, 100% disseram que não. O governo, porém, tenta ir na contramão da perspectiva dos agentes de mercado, tanto que em dezembro, o Haddad anunciou um conjunto de novas medidas para tentar zerar o déficit.

As medidas buscam, entre outros fatores, assegurar que o governo consiga cumprir a meta fiscal prevista no Orçamento de 2024 ? de déficit zero, ou seja, gastar apenas o que será arrecadado no ano, sem aumentar a dívida pública.

Já sobre as expectativas para a taxa de juros. Na avaliação dos especialistas, a taxa Selic deve terminar em:

  • 9,75% ou mais – de acordo com 20% dos entrevistados;
  • 9,5% – de acordo com 22% dos entrevistados;
  • 9,25% – de acordo com 21% dos entrevistados;
  • 9% – de acordo com 20% dos entrevistados;
  • 8,75% – de acordo com 6% dos entrevistados;
  • 8,5% ou menos – de acordo com 11% dos entrevistados

O Comitê de Política Monetária (Copom) deve anunciar nesta quarta-feira (20) o novo patamar dos juros. A expectativa do mercado é que vá para 10,75% (veja abaixo os patamares anteriores).

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS