REDES SOCIAIS

30°C

Relator de MP nega esvaziamento de ministérios e critica Marina Silva: ‘Está fora de contexto’

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O relator da medida provisória que reestrutura os ministérios, Isnaldo Bulhões (MDB-AL), afirmou nesta quarta-feira (24) que as mudanças que propôs no parecer não esvaziam pastas do governo Lula.

Em entrevista à GloboNews, ele também criticou a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, que tem se posicionado contra as alterações sugeridas. Bulhões afirmou que Marina está “fora de contexto” e indo de encontro pensamento do governo”.

“Ela [Marina] está fora de contexto. Com a exceção da Agência Nacional de Águas, a MP não trata de transferência de órgãos de um ministério para outro. Trata, sim, das competências dos ministérios. E todas as modificações que eu acatei têm uma lógica histórica, e de composição do governo. A Agência Nacional de Águas e Esgoto não é, no todo, uma agência de proteção ao meio ambiente apenas”, disse Bulhões.

Na avaliação do deputado, a ministra está reclamando das alterações propostas “mais por entender que possa estar perdendo poder, do que [enxergar] algum prejuízo à proteção ao meio ambiente”.

“Ela [Marina] está totalmente se posicionando fora de contexto, indo de encontro ao pensamento de governo. Quando ela fala, não sei se movida por um espírito narcisista, que a política de proteção ao meio ambiente está sendo esvaziada, não é verdade. Isso é uma política de Estado, não é individual”, afirmou.

Isnaldo Bulhões também afirmou, na entrevista à GloboNews, que a transferência da política de demarcação para o Ministério da Justiça busca dar “imparcialidade” aos processos.

Mas negou que, ao dizer isso, esteja vendo falta de imparcialidade na pasta comandada por Sônia Guajajara.

“A ministra Sônia é uma pessoa imparcial. Eu estou falando que são processos que têm o direito do contraditório. O que eu acredito, é uma competência que traria mais problemas que solução para os povos indígenas e para o ministério”, disse o deputado.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS