REDES SOCIAIS

30°C

Abílio investiga irregularidades no uso de recursos para a cultura em Cuiabá

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

ABÍLIO BRUNINI.jpg

O deputado federal Abílio Brunini.

O deputado federal Abílio Brunini (PL-MT) busca informações para esclarecer denúncias de direcionamento de verbas oriundas da Lei Paulo Gustavo na capital de MT. De acordo com o parlamentar, há denúncias de que alguns projetos estariam sendo beneficiados, enquanto outros foram deixados de lado pela iniciativa.

Segundo o congressista, existe a suspeita de que esteja havendo um “direcionamento” por parte da Prefeitura de Cuiaba na concessão de privilégios para projetos voltados à defesa de pautas ideológicas.

“Vamos abrir algumas investigações, farei requerimentos, vou para cima disso. Porque não é possível usar a cultura do município de Cuiabá com a lei Paulo Gustavo, que deve ser de incentivo à cultura, principalmente a nossa regionalidade, e passar isso apenas para pautas ideológicas. Ideológicas, pautas partidárias, identidárias e que ainda usam um tipo de pronome neutro para crianças. Nós não vamos aceitar isso, vamos para cima dessas coisas”, disse.

Brunini ainda acrescentou que chegou ao seu conhecimento que uma mesma pessoa participou do processo licitatório duas vezes com empresas distintas, o que seria vetado pela Lei Paulo Gustavo de incentivo à cultura.

“Parece que a comissão que escolheu os projetos fez isso de forma direcionada, e não com os critérios que a lei Paulo Gustavo garante. Então, nós vamos investigar, vamos investigar a Secretaria de Cultura de Cuiabá”, completou dizendo que vai cobrar explicações imediatas do secretário de Cultura da capital.

“Não é possível que usem o recurso da lei Paulo Gustavo para fomentar pautas políticas, particulares, ideológicas, principalmente para crianças, e deixando de lado toda a nossa cultura regional”, afirmou.

“Projetos como Flor Ribeirinha foi deixado de lado, aquele que fala sobre o Rio Cuiabá foi deixado de lado ,e foi colocado uma pauta que faz ‘meninex’ com criança, meninas e meninos, vozes da LGBTQIA+, mas não vamos aceitar que use esse tipo de recurso para poder fazer política ideológica partidária”, finalizou.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS