REDES SOCIAIS

18°C

Abílio: ?Se eu plantar um pé de cebolinha na cidade dele, morre sem água?

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

ABÍLIO JAYME.png

O deputado Abílio Brunini e o senador Jayme Campos.

O deputado federal Abilio Brunini (PL-MT) rebateu as críticas do senador Jayme Campos (UB), que no início desta semana disse, indiretamente que o colega de Congresso só faz “molecagem” em Brasília e criticou a atuação do parlamentar, ao dizer que Brunini “nunca trouxe um pé de cebolinha para Mato Grosso”.

Questionado pela imprensa sobre a indireta de Jayme, Abílio afirmou que possui sim emendas previstas para a cidade de Várzea Grande, onde Jayme já foi prefeito e, em tom provocativo, disse que não planta um pé de cebolinha na cidade de Jayme por falta d’água, que é o problema crônico do município.

“Se eu plantar um pé de cebolinha em Várzea Grande, morre. Não tem água na cidade dele! (…). Mas estamos mandando emendas para lá também, para uma UPA e outros setores. Não do jeito que o Jayme está mandando”, alfinetou.

ENTENDA:

Devido aos seus posicionamentos dentro da política, Abílio Brunini e Jayme Campos vivem em constante tensionamento. Isso porque o deputado federal tem um posicionamento de extrema direita e postura mais “sarcástica” no campo político, enquanto o senador é do ‘centrão’ e tem postura mais independente.

Recentemente, Abílio Brunini e Jayme Campos trocaram farpas em um voo de Brasília para Cuiabá. Jayme ficou chateado após Abílio revelar, de forma indireta em uma publicação nas redes sociais, seu voto a favor do indicado do presidente Lula (PT) ao Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro da Justiça Flávio Dino. Irritado, Jayme disse que daria “pauladas” em Brunini, que estava sentado ao lado dele no avião.

Para Abilio, a sabatina de Flávio Dino rendeu a destinação de emendas aos senadores que votaram pela indicação dele ao STF, entre eles, Jayme Campos. Neste cenário, o deputado disse que não atua como o experiente senador, “barganhando” voto em troca de emendas.

“Na semana da votação do Flávio Dino, o Lula soltou R$ 10 bilhões para convencer os senadores, e o Jayme [Campos] disse que vai ter R$ 200 milhões [de emendas] que conseguiu. Conseguiu como?”, questionou.

“A forma do Jayme conseguir recursos não é a minha forma. Eu não negocio o meu voto. Eu não voto por recursos do Governo Federal e não sou base”, concluiu.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS