REDES SOCIAIS

28°C

?Esse é o novo normal?, diz ministro após chuvas no Rio Grande do Sul

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

?Esse é o novo normal?, disse o ministro das Cidades, Jader Filho, sobre os temporais que atingem o Rio Grande do Sul desde a segunda-feira (29).

A Defesa Civil colocou a maior parte das bacias hidrográficas do estado com risco de elevação das águas acima da cota de inundação e o governo decretou estado de calamidade.

?Eu tenho dito que esse é o novo normal. A gente tem discutido isso nos fóruns globais. Seja na ONU Habitat ou na COP28, essa discussão tem sido feita em todos os países. Todo mundo tem discutido essa nova realidade?, afirmou em entrevista ao Em Ponto, da GloboNews.

O ministro diz que o foco para enfrentar casos como a do Rio Grande do Sul é adaptar as cidades e prepará-las para essas situações.

?A gente precisa deixar as cidades preparadas para terem, vamos dizer assim, estrutura para poder enfrentar essa nova realidade. Nós precisamos entender que a política de prevenção não pode ser a política do vai e vem. Constrói [cidade], destrói e constrói [de novo]?.

Até a última atualização desta reportagem, mais de 30 pessoas haviam morrido e outras 60 estavam desaparecidas.

Ao todo, até a manhã desta sexta, 154 dos 496 municípios do estado registraram algum tipo de problema. Mais de 14,8 mil pessoas tiveram que deixar suas casas. Pelo menos 4,6 mil estão em abrigos e outras 10 desalojadas ? vivendo na casa de familiares ou amigos, segundo informações da Defesa Civil.

O governo do RS decretou estado de calamidade, situação que foi reconhecida pelo governo federal. Com isso, o estado fica apto a solicitar recursos federais para ações de defesa civil, como assistência humanitária, reconstrução de infraestruturas e restabelecimento de serviços essenciais.

No Guaíba, em Porto Alegre, o nível da água já passou dos 3,6 metros e pode superar 5 metros ainda nesta semana, segundo a Sala de Situação do RS. Isso quer dizer que será a maior cheia do Guaíba em mais de 80 anos.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS