REDES SOCIAIS

34°C

Excluída de lista tríplice da OAB, advogada diz que TJ precisa repensar “mensagem” de desigualdade

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Fred Moraes

Única News

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

A Procuradora do Estado, Glaucia Amaral, que pleiteava a vaga de advocacia na escolha de desembargador ou desembargadora, o chamado Quinto Constitucional, pela lista sêxtupla da Ordem dos Advogados do Brasil seccional de Mato Grosso (OAB-MT), lamentou sua exclusão na lista tríplice encaminhada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso ao Governo de Mato Grosso nesta segunda-feira (19). Mesmo após a OAB ordenar uma paridade de gênero no critério de escolha, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) excluiu todas as mulheres indicadas pela entidade. Faziam parte da lista sêxtupla as advogadas Juliana Zafino, Dinara de Arruda a procuradora do Estado Glaucia do Amaral.  

Em entrevista exclusiva ao Única News, Glaucia explicou que respeita as decisões do Judiciário, porém era preciso reavaliar a mensagem transmitida à sociedade, principalmente por mostrar que com a exclusão tripla, o poder deixa de ser acessível às mulheres.  

“Temos que respeitar as decisões do nosso Tribunal de Justiça, que sempre foi um tribunal de vanguarda em relação à igualdade, tendo muitas desembargadoras em sua composição. Todos os Desembargadores e Desembargadoras tinham uma tarefa difícil na escolha. É um momento de transformação no judiciário, que caminhará inexoravelmente para a igualdade. Todas as mulheres participantes da lista foram honradas, por sua coragem e sua própria história que nos fizeram chegar aqui. Preocupa-me as meninas, as adolescentes, especialmente aquelas da periferia, que pouco compreendem os poderes, e recebem sempre a mensagem de que o poder não é acessível às mulheres”, disse Glaucia ao Única News. 

A procuradora salienta que com a nova vaga para desembargador, o Tribunal de Justiça atravessa um período de transformação e a equidade de gênero era imprescindível.  

“A mensagem transmitida à sociedade mato-grossensse, um Estado mergulhado nos resultados violentos da desigualdade de gênero, precisa ser pensada. É um momento de transformação no judiciário, que caminhará inexoravelmente para a igualdade”, pontua.

Por fim, Glaucia Amaral relembra que ação promovida pela OAB-MT em exigir a paridade de gênero foi fundamental na disputa, e enalteceu os três finalistas da lista.

A lista da OAB é excelente, os colegas homens também tem méritos. E a OAB/MT foi corajosa em trazer homens e mulheres em pé de igualdade”, finaliza a advogada.

Dinara Arruda utilizou as redes sociais para falar sobre a exclusão, a advogada afirmou que fica feliz em poder participar do pleito, e que isto reconheceu sua trajetória no campo profissional de 58 anos dedicados a advocacia.

“Foi uma honra participar do pleito para a escolha da formação da lista para concorrer aos 5° constitucional do do TJMT, na vaga destinada a OAB. Uma honra e uma alegria. Foi gratificante o reconhecimento profissional e pessoal ao longo de 28 anos de advocacia efetiva. Tudo no tempo de Deus”, escreveu.

A LISTA DA OAB-MT

A OAB entregou em janeiro a lista sêxtupla com os nomes de três candidatos e de três candidatas à vaga no segundo grau de jurisdição do Poder Judiciário estadual.

Os advogados (as) escolhidos (as) foram Abel Sguarezi, Dinara de Arruda, Flaviano Taques, Glaucia Amaral, Hélio Nishiyama e Juliana Zafino.

ESCOLHIDOS PELO TJMT

Os três advogados da lista tríplice do Quinto Constitucional mais votados pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso foram: Hélio Nishiyama com 28 votos; Abel Sguarezi com 19 votos e Flaviano Taques com 20.

Agora, a lista segue para o governador Mauro Mendes (União), a quem cabe escolher o novo desembargador.

 Os novos desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso tomam posse nos cargos na próxima quarta-feira (21). A solenidade está marcada para às 14h30. Ao todo, sete novos desembargadores passam a compor o quadro do Judiciário. A lista inclui cinco magistrados, um representante da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso e do promotor de Justiça Marcos Regenold Fernandes, que foi nomeado pelo governador Mauro Mendes no final de dezembro para assumir a vaga reservada ao quinto constitucional do Ministério Público Estadual.  

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS