REDES SOCIAIS

34°C

José Dirceu comemora aniversário em jantar concorrido, com críticas e elogios à posição de Lula sobre Petrobras e Vale

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Em jantar concorrido e que virou uma demonstração de força política, o ex-ministro José Dirceu reuniu em seu aniversário, na quarta-feira (13), o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSD), pelo menos dez ministros do governo e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), além de amigos petistas.

O anfitrião ficou mais de duas horas recebendo os convidados na porta da casa onde ocorreu a festa pelos seus 78 anos, que serão completados no sábado (16), mas foram comemorados antecipadamente.

Nas rodinhas de conversas, amigos de José Dirceu formavam dois grupos com opiniões diferentes sobre o atual momento do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Quem circulava pela casa, esbarrava em grupos que defendiam e criticavam as últimas declarações do presidente da República sobre Petrobras e Vale.

Entre os críticos a Lula, a avaliação era que o governo estava atrapalhando o bom momento da economia e dos investimentos sociais com um discurso intervencionista, que afugenta o eleitorado de centro e investidores.

Já nas rodinhas a favor do petista, o discurso era o oposto, de que ele fez o certo ao cobrar dos acionistas da Petrobras e da Vale um alinhamento à política de desenvolvimento do governo.

Nessas conversas, o argumento era que o mercado sempre pensa apenas nele e não no país, e que isso tem mesmo de ser combatido pelo presidente.

Haddad e Prates

Por sinal, o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, também estava no jantar e, durante todo o tempo em que permaneceu na festa, ficou cercado de jornalistas e petistas.

Prates buscava colocar água na fervura e lembrava que havia postado pouco antes uma mensagem no X (antigo Twitter) dizendo que é legítimo que o presidente da República, a partir de seus ministros, defenda os interesses da União no Conselho de Administração da estatal.

Aos presentes, ele garantia que ficou tudo explicado ao presidente, e que o mais importante foi a segunda rodada da reunião no Palácio do Planalto para falar dos investimentos da estatal.

Prates dizia que tudo estava acertado também com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, que fez críticas à Petrobras por defender a distribuição de dividendos extraordinários, o que afetaria, neste momento, a capacidade da empresa de tomar empréstimos para implementar seu plano de investimento.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, marcou presença, mas ficou pouco tempo na festa.

Ele conseguiu convencer o presidente Lula a indicar um nome de sua equipe para integrar o Conselho de Administração da Petrobras, que será renovado no próximo mês, equilibrando as forças no colegiado, que hoje representa mais a visão dos ministros da Casa Civil, Rui Costa, e de Minas e Energia.

Além de Haddad, também estiveram no jantar os seguintes ministros:

  • José Múcio (Defesa);
  • Alexandre Padilha (Relações Institucionais);
  • Nísia Trindade (Saúde);
  • Luciana Santos (Ciência e Tecnologia);
  • Marcio Macedo (Secretaria-Geral);
  • Silvio Costa Filho (Portos e Aeroportos);
  • Juscelino Filho (Comunicações)
  • e Vinicius Carvalho (CGU).

Parlamentares

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O presidente da Câmara, Arthur Lira, e seu aliado, o deputado Elmar Nascimento (UB-BA), também foram à festa de José Dirceu, que teve seu nome lembrado em algumas rodinhas como possível candidato a deputado federal em 2026, o que ele tem publicamente desconversado por enquanto, e ainda depende de últimas pendências judiciais.

O jantar, que virou uma demonstração política, foi um momento também para amigos destacarem a importância do retorno de Dirceu aos bastidores da política. Ele voltou a falar com o presidente Lula e conversa muito com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

Do mundo político, também compareceu o presidente do Republicanos, Marcos Pereira, e outros parlamentares. O filho do anfitrião, deputado Zeca Dirceu (PT-PR), comentava que o pai estava recuperado depois de passar uns dias internado para cuidar de uma pneumonia.

O próprio José Dirceu falava que estava bem, mas reclamava da quantidade de remédios que foi obrigado a tomar.

Os assessores do ex-ministro estavam preocupados com a longa duração da fila de cumprimentos à porta da casa onde foi realizada a festa e passaram a oferecer a José Dirceu um pratinho com comida para ele aguentar o ritual.

O advogado Antônio Carlos de Almeida, o Kakay, amigo direto do ex-ministro, também estava presente.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS