REDES SOCIAIS

29°C

Lula insiste em Cappelli, que tira férias até definição de futuro com Lewandowski no ministério

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli vai sair de férias nesta quinta-feira (11), após se reunir com o atual ministro, Flávio Dino (PSB). A reunião aconteceu nesta manhã em Brasília. Cappelli tem futuro incerto na pasta com o anúncio iminente de Ricardo Lewandowski.

Antes do encontro, fontes confirmaram ao blog que ele não pediria demissão no encontro que faz com Dino e que Cappelli vai aguardar movimentações do futuro ministro antes de decidir o seu futuro. Ao blog da Ana Flor, Cappelli disse que não permanecerá na pasta com a saída de Dino.

Ao sair da reunião com Dino, por volta de 11h, Cappelli usou a rede social X, ex-Twitter, para dizer que não entregou o cargo.

“Não pedi demissão. Vou sair de férias com a minha família e voltar para colaborar com a transição no Ministério da Justiça e Segurança Pública. União e Reconstrução”, publicou, usando por fim o lema do governo Lula 3.

A discussão sobre a formação da equipe de Lewandowski ainda continua e não está descartada a possibilidade de Cappelli continuar no ministério. Lula vê com bons olhos o seu nome por ter sido interventor na segurança pública do Distrito Federal, após os ataques do 8/1, e chefe interino do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência da República.

Com a nomeação do futuro novo ministro, o governo vai continuar com as articulações de modo que Lewandowski monte a sua própria equipe, mas com a possibilidade de que Cappelli seja contemplado. Segundo aliados de Cappelli, a única saída seria ele permanecer na secretaria executiva. A partir de agora, a questão será se o Lewandowski aceitará ter o número 2 de Dino neste posto.

Na visão de aliados, Cappelli tem pouca capacidade de articulação e de execução na Secretaria Nacional de Segurança Pública. Seria um lugar possível de ele ocupar caso fosse reforçada com o Fundo Penitenciário Nacional e com as polícias Federale Rodoviária Federal, o que é um cenário improvável.

A intenção de Cappelli, ainda como secretário-executivo, é tirar férias para descansar e voltar ao Ministério para fazer a transição de comando entre Dino e Lewandowski. Cappelli estava entre os cotados para assumir o comando do ministério, mas Lula optou pelo ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ex-integrante do Supremo, Lewandowski deve ser anunciado como substituto de Flavio Dino no ministério após reunião com Lula, às 11h desta quinta. Dino irá ocupar uma vaga no próprio Supremo.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS