REDES SOCIAIS

16°C

Ministra das Mulheres diz que soltura de Daniel Alves é ‘equivoco’ e que jogador deveria continuar na prisão

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves (PT), afirmou nesta segunda-feira (25) que a soltura do jogador Daniel Alves é um “equívoco” do judiciário espanhol e que o jogador, condenado por estupro, deveria cumpria a pena pela qual foi condenado na prisão.

Daniel Alves deixou a prisão nesta segunda após pagar fiança de 1 milhão de euros (R$ 5,4 milhões) para responder ao processo em liberdade. Daniel Alves foi condenado em primeira instância, mas poderá aguardar solto os recursos na Justiça da Espanha.

“Muita indignação. R$ 5 milhões compram a liberdade de um estuprador já foi julgado, condenado por estupro. Segundo é o corpo a palavra da mulher que tá sendo mais uma vez violada, sofrendo as consequências disso. Acho que foi equívoco. Não posso julgar o que aconteceu na Espanha, mas ele deveria cumprir sua condenação na prisão”, disse a ministra ao ser questionada sobre como recebeu a notícia da soltura de Daniel Alves.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Cida Gonçalves deu a declaração após deixar uma reunião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com ministras, deputadas e senadoras no Palácio da Alvorada. Cerca de 50 mulheres participaram do encontro idealizado pela primeira-dama Janja da Silva.

A reunião

O encontro no Alvorada foi o primeiro promovido especialmente para parlamentares mulheres na residência oficial do casal presidencial.

Nas últimas semanas, o presidente Lula recebeu, também no Alvorada, líderes da Câmara e do Senado.

Nos dois encontros, somente três mulheres estavam presentes: a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), a ministra Luciana Santos (Ciência e Tecnologia) e a senadora Eliziane Gama (PSD-MA). A primeira-dama não participou.

Segundo relatos, no encontro entre Lula e senadores, Eliziane fez referência à falta de mulheres e pediu uma reunião especial com as bancadas femininas do Congresso.

A reunião com a presença de Janja nesta segunda, endossada por Lula, é uma sinalização da entrada da primeira-dama nas campanhas de mulheres nas eleições municipais de 2024.

No convite encaminhado às congressistas e obtido pelo g1, a equipe de Janja diz que o objetivo do encontro desta segunda é trocar ?experiências, conexões e fortalecimento mútuo?.

Afirma também que a primeira-dama é uma ?defensora do empoderamento feminino nos espaços de decisão e poder?.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS