REDES SOCIAIS

30°C

MM garante que Botelho nunca ameaçou deixar o partido

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

MAURO MENDES E EDUARDO BOTELHO.jpg

O governador Mauro Mendes e o presidente da AL, deputado Eduardo Botelho.

Após o presidente do União Brasil (UB) em Mato Grosso, governador Mauro Mendes, reafirmar seu apoio a candidatura do deputado federal licenciado Fabio Garcia (União) para prefeito de Cuiabá no ano que vem, a dúvida agora é se o deputado estadual e também pré-candidato a prefeito da capital, Eduardo Botelho, deixará as fileiras do partido ou não.

Mauro afirma que ainda não recebeu nenhum pedido formal de liberação da parte de Botelho e preferiu não dizer se irá ou não dar anuência para que o prefeitável pegue suas malas e saia par viabilizar seu projeto ao cargo de prefeito da capital em outra legenda.

“Eu não posso ficar me pronunciando, nem dando definições em função de coisa que eu ouço pela imprensa, é muito ruim isso. Então, eu me pauto na minha relação com a pessoa”, destacou Mendes.

“No caso do Botelho, eu dialogo com ele, e os meus diálogos com ele sempre são muito bons. Nunca teve ameaça, nunca teve nenhum tipo de perturbação. Existe, obviamente, um conflito de interesse, mas ele está sendo administrado democraticamente”, garantiu.

A conversa que corre nos bastidores da política da capital é que, caso não consiga viabilizar sua candidatura a prefeito pelo União Brasil na capital, Botelho migraria para o Partido Social Democrático (PSD), capitaneado em Mato Grosso pelo ministro da Agricultura do governo Lula (PT), Carlos Fávaro, rival político de Mauro Mendes, o qual já garantiu portas abertas e apoio irrestrito ao projeto de Eduardo Botelho na corrida pela chefia do Palácio Alencastro.

Botelho chegou a “ensaiar” uma saída do União Brasil, porém, permaneceu na agremiação e pediu que fossem estabelecidos critérios para definição de quem seria o candidato do partido a prefeito de Cuiabá.

Inicialmente, o governador sugeriu a realização de pesquisa qualitativa, proposta que foi aceita por Fábio Garcia, mas recusada por Botelho, sob a justificativa de tal levantamento seria muito subjetivo e, por isso, não seria adequado para embasar a decisão.

Passado esse episódio, uma queda de braço entre os dois pré-candidatos se formou dentro da agremiação para definir quem irá a disputa no ano que vem. Contudo, em meados desta semana, Mauro disse que manterá o compromisso que fez com Fábio, de apoiá-lo na disputa no ano que vem.

Com isso, o que resta agora é a expectativa de que Botelho peça, até a próxima semana, sua liberação para se filiar ao PSD e seguir em frente com seu projeto.

Mauro Mendes, por sua vez, reiterou que em nenhum momento o colega fez algum tipo de chantagem ou ameaça sobre uma possível saída dele dos quadros do União em MT.

“Conversei com Botelho, e minha conversa com ele sempre foi muito boa, muito tranquila, respeitosa como deve ser entre aqueles que representam poderes constituídos. Minha relação com Botelho, independente desse momento, é boa”, disse.

Sobre a carta de anuência, Mendes disse apenas que tudo “vai depender do diálogo”.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS