REDES SOCIAIS

22°C

Para ministros do STF, Mendonça age ‘a serviço’ do bolsonarismo ao desacelerar julgamento de atos golpistas

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Ministros do Supremo Tribunal Federal ouvidos pelo blog acreditam que André Mendonça agiu “a serviço do bolsonarismo” ao pedir para levar ao plenário presencial o julgamento de 2 réus dos atos golpistas de 8 de janeiro.

O julgamento desses e mais 3 réus vinha acontecendo no plenário virtual e, nesse sistema, teria de ser concluído até as 23h59 de segunda (2). No último domingo (1º), já havia, inclusive, maioria para a condenação de todos.

Antes de o prazo acabar, entretanto, o ministro André Mendonça pediu para que o julgamento de 2 deles fosse transferido para o plenário físico. Agora, com o pedido de destaque, os ministros terão que reapresentar presencialmente os votos nos dois casos.

Três ministros do STF ouvidos pelo blog em condição de anonimato avaliaram que a decisão é uma tentativa de objetivo marcar uma ”posição” e dar uma resposta ao bolsonarismo, que teme que a conclusão dos julgamentos dos acusados leve a Corte a se debruçar sobre os autores intelectuais da tentativa de golpe de 8 de janeiro ? incluindo o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

“É serviço, porque na verdade estão vendo nisso o desdobramento que é o fim da história: está faltando alguém”, disse ao blog um ministro do STF. “Então, pedindo mais tempo, ele evita acelerar o julgamento e o desfecho”.

Um outro integrante do Supremo diz que é ”praticamente” impossível que a mudança do julgamento para o plenário físico leve algum ministro a mudar seu voto.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS