REDES SOCIAIS

28°C

PT alega que Bolsonaro fez campanha em horário de trabalho e apresenta denúncia no TCU

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O PT apresentou denúncia ao Tribunal de Contas da União (TCU) contra o presidente Jair Bolsonaro por suposta campanha eleitoral durante o horário de expediente.

A denúncia foi protocolada no domingo (21), segundo a equipe jurídica do PT. O processo ainda não foi aberto no sistema do TCU e, portanto, ainda não há relator.


window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

Na peça, o PT afirma que, em apenas cinco dias de campanha eleitoral oficial, Bolsonaro estaria participando de atos de campanha eleitoral em horário de expediente das repartições públicas do poder Executivo Federal, o que, segundo o partido, “significa o uso da máquina pública para promover sua campanha eleitoral, vedado pela legislação”.

A campanha eleitoral foi iniciada oficialmente na última terça-feira (16). “(…) é inescusável que o Denunciado ao abandonar suas competências de Presidente da República assume postura completamente imoral e antiética que tem efeitos não apenas nas suas competências individuais, mas de todos os servidores, funcionários, assessores e colaboradores do Poder Executivo que cumprem expediente normal no Palácio do Planalto”, diz a equipe jurídica do PT na denúncia.

“Observa-se um verdadeiro efeito em cadeia que atenta contra o interesse público, num nítido

cenário de abandono das funções públicas para exercício de interesses puramente pessoais (a campanha presidencial)”, completa.

Possíveis ilegalidades, segundo o PT

Segundo o PT, as possíveis ilegalidades cometidas por Bolsonaro ao fazer campanha, supostamente, em horário comercial são:

?afronta ao princípio da moralidade e eficiência, sob os quais ele está submetido em razão do exercício da função pública de presidente da República; e

?abuso de poder econômico, por usar, em proveito próprio, bens e recursos da administração pública.

“E, nesse sentido, denunciam-se as potenciais irregularidades cometidas pelo Denunciado que podem vir a ocasionar no mal uso de recursos públicos no âmbito do Poder Executivo Federal, para benefício pessoal do próprio Denunciado”, dizem os advogados na denúncia.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS