REDES SOCIAIS

17°C

Vereador defende Emanuel e diz que nenhuma operação policial chegou ao prefeito

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

O vereador e vice-líder da Prefeitura de Cuiabá na Câmara Municipal, Luís Cláudio (PP), minimizou a 19ª operação policial, denominada Raio X, na Secretaria Municipal da Capital deflagrada nesta quinta-feira (23) que teve como alvo irregularidades na contratação de serviços de raio-X e ultrassonografia feitas pela pasta. Conforme o vereador, os culpados realmente devem ser culpados e punidos. Mas, garante que em nenhuma operação chegou até ao prefeito de Cuiabá, apenas em servidores.

“Em nenhuma das operações atingiram o prefeito da Capital, mas volto a dizer cada um tem que responder pelo seu CPF. São 22 secretarias, como um gestor consegue controlar tudo isso? Mas tem que chamar atenção sim e ser punido. Que os culpados sejam processados e se condenados saiam do serviço público”, afirma o vereador ao Veja Bem MT.  

A operação deflagrada pela Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) as investigações apontam indícios de irregularidades na contratação de serviços de raio-X e ultrassonografia pela Secretaria Municipal de Saúde da Capital.

A investigação apontou para indícios de conivência de agentes públicos, que ocupavam à época os cargos de secretário de Saúde, secretário-adjunto, pregoeiro, gestores de contrato e assessores jurídicos do órgão municipal, e atuaram com o desvio de condutas em benefício a uma empresa contratada. Mesmo com uma decisão judicial determinando a suspensão de todo o certame licitatório por indícios de fraude, ainda assim, agentes públicos autorizaram que a LG Med recebesse valores da Secretaria de Saúde.

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS