REDES SOCIAIS

22°C

Vereador que extorquiu suplente e ameaçou outro parlamentar acaba cassado

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

@media only screen and (max-width: 767px) {
.img-wrapper {
margin-bottom: 5px;
}

.content-title {
margin-bottom: 10px;
}
}

VEREADORES

 

 

Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Novo do Parecis aprovaram por unanimidade nesta segunda feira (4), o processo de resolução de cassação do mandato do vereador Jorge Itamar Rodrigues (PSC) por quebra de decoro parlamentar. O parlamentar foi acusado de extorquir o próprio suplente Deilson Lopes Beiral (PSC), em uma quantia de R$10 mil, para financiar a campanha da esposa como conselheira tutelar.

Conforme a decisão, o vereador ficará inelegível pelo prazo de 8 anos.

O relatório da Comissão Processante foi apresentado durante a sessão desta segunda-feira (04) com denúncias graves pelo parlamentar proferir palavras de ódio contra o vereador Wilian Freitas (PP). Itamar teria afirmado que ira degolar Wilian e que estaria com uma arma, acompanhada de dois carregadores, para atingir o parlamentar.

Além disso, uma terceira acusação foi adicionada ao processo como as ameaças feitas contra o ex-secretário de saúde, Daimo Thomazzi.

Itamar não compareceu à sessão que cassou seu mandato, alegando estar com sintomas de ansiedade. Conforme o Legislativo, o vereador teria evitado receber a notificação via WhatsApp e também pessoalmente.

O parlamentar solicitou a prorrogação do prazo de 5 dias para defesa, mas não deu qualquer justificativa para a ampliação do prazo. À solicitação foi atendida pela comissão e o parlamentar apresentou sua defesa preliminar, mas não conseguiu refutar as acusações investigadas pela comissão.

Durante os trabalhos, a comissão ouviu a testemunha Luiz António Giroldo Filho, Ele afirmou ter sido procurado pelo vereador Jorge Itamar Rodrigues, que confessou ter recebido R$ 10 mil para financiar as despesas da campanha de sua esposa como conselheira tutelar.

Deilson assumiu temporariamente a vaga de Jorge após ele afastar do cargo para apoiar a campanha da esposa, Hidelánia Maria Melo Teles Rodrigues, que foi eleita conselheira tutelar. Contudo, conforme a denúncia de Delson Lopes, Itamar só teria se afastado após exigir um pagamento de R$ 10 mil para ceder a vaga.

 

Fonte: Isso É Notícia

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS