REDES SOCIAIS

23°C

Ciro no g1 – trechos: ‘Se eu fosse governador, ou se meus aconselhamentos tivessem sido ouvidos, eles teriam sido reprimidos com a dureza da Constituição’, diz candidato sobre motins de PMs

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

O candidato Ciro Gomes (PDT) afirmou que policiais militares do Ceará que participaram de motins teriam sido presos e expulsos da corporação se ele fosse governador do estado na época. O titular do cargo era Camilo Santana (PT).

“Se eu fosse governador, ou se meus aconselhamentos tivessem sido ouvidos, eles teriam sido reprimidos com a dureza da Constituição. E seus autores teriam pago na cadeia e da expulsão da PM. Eles não fizeram isso […]. [Autoridades] ponderaram, negociaram e criaram essa cobra”, disse.

Ele comentou sobre os motins ao falar sobre a possibilidade de o grupo político aliado dele perder o governo do Ceará. A aliança, com partidos como PDT e PT, governa o estado desde 2006.

Ciro relacionou os motins, o último deles em 2020, a uma realidade de policiais com “pouca aptidão para segurança” no estado. Ninguém foi condenado pelo motim de 2020.

“O que aconteceu? Ceará é estado muito pobre. E a polícia do Ceará, ao fazer concursos, resolveu pagar salários que na média do Brasil não são tão generosos, mas no Ceará estão acima da média. E, no Ceará, dois terços dos policiais, soldado, têm, nível superior e pouca aptidão para a segurança”, afirmou.

O pedetista deu a declaração nesta segunda-feira (13), na primeira da série de entrevistas comandada por Renata Lo Prete, apresentadora do podcast ?O Assunto?, com pré-candidatos à Presidência da República. A conversa foi transmitida ao vivo direto do estúdio do g1, em São Paulo.

Os próximos entrevistados serão Simone Tebet (MDB), em 20 de junho, às 15h; e André Janones (Avante), em 11 de julho, também às 15h. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) também foram convidados, mas não confirmaram presença até 3 de junho, prazo estipulado em reunião de 31 de maio com representantes dos partidos na qual foram informadas regras e datas para a realização da série.

Todas as entrevistas ficarão disponíveis na íntegra, em vídeo e em áudio, como episódio especial de “O Assunto”. O g1 convidou para as entrevistas os cinco primeiros colocados na pesquisa Datafolha divulgada em 26 de maio.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS