REDES SOCIAIS

30°C

Senado aprova projeto que condiciona liberação de verba para segurança ao combate da violência contra mulher

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O Senado aprovou nesta terça-feira (9), em votação simbólica, um projeto que obriga estados e Distrito Federal a apresentarem a cada 10 anos um plano de metas para combater a violência contra a mulher para, então, terem acesso a recursos federais destinados à segurança pública e aos direitos humanos.

O texto já havia passado pela análise de deputados e voltará para a Câmara porque os senadores alteraram o conteúdo (mérito) da proposta.

Entre outras mudanças, o Senado ampliou o escopo do projeto, antes restrito às situações de violência doméstica e familiar.

window.PLAYER_AB_ENV = “prod”

A relatora, senadora Janaína Farias (PT-CE), acolheu uma emenda do senador Jaques Wagner (PT-BA) para estabelecer que a regra de acesso aos recursos seja válida para qualquer tipo de violência contra a mulher.

?Verificamos que a alteração traz o benefício de ampliar a abrangência desse detalhado conjunto de medidas, colaborando para tornar mais efetiva a legislação protetiva e, portanto, agindo para resguardar a mulher de todos os tipos de violência, sem excluir evidentemente a violência doméstica e familiar?, explicou no parecer.

Segundo o texto, os estados e p DF terão prazo de um ano para aprovar seus respectivos planos, contados a partir da sanção da lei.

Planos de metas

O texto determina que os estados deverão estabelecer nos planos, entre outros pontos:

  • programa de monitoração eletrônica de agressores e acompanhamento de mulheres em situação de violência como mecanismo de prevenção integral e proteção;
  • plano de expansão das delegacias de atendimento à mulher, que contemple principalmente as regiões geográficas imediatas dos Estados;
  • expansão da monitoração eletrônica do agressor e disponibilização para a mulher em situação de violência de unidade portátil de rastreamento que viabilize a proteção da integridade física da mulher.

Conforme o projeto, o plano ainda deverá conter a definição de um órgão responsável pelo seu monitoramento e pela coordenação da rede estadual de enfrentamento à violência contra a mulher e da rede de atendimento à mulher em situação de violência.

?A proposição tem o mérito de apresentar uma elaborada política pública que almeja tornar efetiva a aplicação das normas já vigentes alusivas à proteção da mulher em situação de violência doméstica e familiar, assentando, de maneira justa, as atribuições dos entes da Federação?, afirmou a relatora.

Fonte G1 Brasília

VÍDEOS EM DESTAQUE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS